+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O assassinato de {Malcolm} X é revisto após um documentário de {Netflix}

 

{Malcolm} X. -

REDACCIÓN
15/02/2020

O escritório do Fiscal de Distrito de Manhattan, {Cyrus} {Vance} {Jr}., comunicou que está revendo o caso de assassinato em 1965 do ativista de direitos civis {Malcolm} X depois de/após que a série de {Netflix} ¿Quem matou a {Malcolm} X? {planteara} perguntas sobre/em relação a dois dos homens condenados no caso. Um dos fiscais atribuídos à revisão é Peter Casolaro, quem também trabalhou na investigação que {despejó} o caso dos Cinco de Central {Park}. {Malcolm} X foi assassinado enquanto pronunciava um discurso em Manhattan, o 21 de Fevereiro do 1965.

Um ano antes de seu assassinato, {Malcolm} X tinha abandonado a Nação do Islão, o que provocou ameaças de morte. {Mujahid} {Abdul} {Halim}, {Muhammad} {Abdul} {Aziz} e {Khalil} Islão foram condenados a prisão perpetua por seu assassinato. Se bem {Halim} disse que esteve envolvido no conspiração para matar a {Malcolm} X, afirma que {Aziz} e Islão eram inocentes. {Aziz}, de 81 anos, foi posto em liberdade condicional no 1985. Islão morreu em 2009 e também disse que não estava envolvido. A série de {Netflix} centra-se nas álibis de {Aziz} e o Islão. {Aziz} sustenta que estava em casa cuidando de sua perna lesionada a noite do assassinato de {Malcolm} X.