+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Um estudo diz que o 35% de adultos está acima do peso recomendado

A obesidade afeta a mais de 650 milhões de pessoas no mundo

 

EFE
25/10/2019

A obesidade e o sobrepeso se perfilam como as novas epidemias do século XXI, patologias que afetam em Espanha ao 53 % das pessoas maiores/ancianidade de 18 anos e cuja incidência se tem duplicado em 20 anos, apesar de o qual seguem/continuam sem ser consideradas como doenças. Assim o constatou o Estudo sobre/em relação a a obesidade em Espanha e as suas consequências, elaborado pela Fundação Gaspar Casal, que reclama a necessidade de que a obesidade seja considerada como uma doença crónica.Assim a cataloga a Organização Mundial da Saúde (OMS), que a considera além disso uma pandemia, com mais de 650 milhões de pessoas afetadas no mundo, o que supõe o 13 % da população mundial.

Em Espanha, mais do 37 % dos maiores/ancianidade de 18 anos e o 18 % dos menores apresentam sobrepeso, enquanto o 17,4 % e o 10 % respetivamente obesidade. E a tendência, segundo conclui este estudo, continua em alta.

Uma das consequências de que a obesidade não seja considerada oficialmente como uma doença em Espanha é que são os próprios afetados os que têm que assumir o custo dos tratamentos, que superam os 280 euros mensais, e a lista de espera para a cirurgia {bariátrica} é de mais de um ano, com 11.000 pacientes em lista de espera.

Assim o tem explicou {Alicia} {Corduras}, investigadora associada da Fundação Gaspar Casal e uma das autoras do estudo, que advoga pela criação de equipas multidisciplinares em Atenção Primária que derivem ao paciente à Especializada quando seja necessário. Outra das propostas do trabalho é a atenção em grupo destes pacientes, algo que favorece a motivação dos afetados, coordenados por endocrinos, nutricionistas e psicólogos.

Só/sozinho em Castela e Leão/ Este modelo somente foi implantado em Castela e Leão, mas em geral -tal como lamentou {Corduras}- a atenção em grupo não existe no sistema sanitário espanhol, ao que considera que lhe falta uma estratégia acordada.

A importância de declarar a obesidade uma doença crónica se {fudamenta} também na grande quantidade/quantia de {comorbilidades} e patologias associadas que traz consigo. Neste sentido, advertiu de que entre os anos 2014 e 2017 e ligado ao aumento dos casos de obesidade e sobrepeso, se registou também um aumento de 14 % dos diagnósticos de diabetes. Outras doenças associadas à obesidade são o colesterol, a hipertensão, alguns tumores e boa parte dos acidentes cardíacos e {cerebrovasculares}.

«Reconhecer a obesidade como uma doença crónica com complicações e não como um estilo de vida escolhido pode ajudar a reduzir o estigma e a discriminação que sofrem muitas pessoas» com este problema, sublinhou o diretor da Fundação Gaspar Casal, Juan del LLano.

O sobrepeso em adultos tem uma prevalência média/meia na população de 18 e mais anos em Espanha, que no 2017 foi do 37,07 % . As percentagens cresceram desde 2014 um 3,72 %, especialmente no caso da mulher.