+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A nova residência de maiores/ancianidade oferta, por enquanto, 60 empregos

A previsão é terminar a obra o 31 de Março e abrir após conseguir as autorizações. A ideia dos promotores é ir aumentando-os em base aos usuários

 

Uma imagem de arquivo das obras da nova residência. - TONI GUDIEL

RAQUEL RODRÍGUEZ
11/01/2019

Desde o 14 de Fevereiro e até ao dia 31, de segunda-feira a sexta-feira de dez a dois, estará habilitada/tesoureira uma escritório na Casa da Juventude (Porta {Berrozana}) para entregar currículos para a oferta de emprego da nova residência de maiores/ancianidade que se constrói em Cidade Jardim. A Família {Carrón}, promotora do projeto, oferecerá em torno de 60 postos de trabalho iniciais para começar a funcionar. Ontem os fez públicos a Câmara Municipal, que colabora em seu receção, embora o processo de seleção o realizará exclusivamente a empresa.

A oferta de emprego se distribui em 18 categorias e, segundo explicou ontem um dos promotores, José Luis Palomares, num princípio, a ideia é contratar a 20 auxiliares de enfermaria ou pessoas com o certificado de profissionalismo em atenção sociosanitária a pessoas dependentes em instituições sociais, 10 diplomados em Enfermagem, 10 pessoas para limpeza, 5 para o serviço de cozinha, 2 fisioterapeutas, 2 regulados em Ciências da Atividade Física e do Desporto, 2 terapeutas ocupacionais, 2 técnicos superiores em animação sociocultural e turística e um médico {geriatra}, um médico traumatologista, um psicólogo, um trabalhador social, um podólogo, um auxiliar administrativo, um cabeleireiro e uma pessoa de manutenção.

Palomares quis deixar claro ontem que esta oferta «irá subindo, em função do número de usuários», mas o que querem é, desde o primeiro momento, dar um serviço «de segunda-feira a domingo». Por isso, embora {incialmente} a empresa não contacte com todos os demandantes de emprego, os currículos os manterão a modo de saco/sacola/bolsa para ir chamando quando aumentem as necessidades pelo volume de usuários. «Os prioritários são os currículos que se entreguem na Câmara Municipal», sublinhou Palomares.

Quanto à data de funcionamento, explicou que já têm fechado com a empresa Placonsa o dia 31 de Março como prazo de finalização das obras e, depois, tudo dependerá do que tardem as autorizações correspondentes, que Palomares espera que sejam ágeis, pelo grande interesse/juro que suscita o projeto.

Precisamente, para os potenciais usuários, a empresa tem habilitado/tesoureiro um telefone, o 627 255005, ao que se poderá chamar para concertar encontros personalizados a partir do 15 de Fevereiro, em que terá dois plantas terminadas e equipadas que mostrar. A ideia é explicar os serviços com os que contará a residência e recolher as sugestões e necessidades dos usuários para dar «qualidade e serviço».