+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

{Iberforesta} porá o foco nas novas técnicas e tecnologias no sector

Contará com uns 30 expositores, conversas, oficinas e visitas

 

Uma imagem da apresentação de {Iberforesta}, ontem. - TONI GUDIEL

R. R. PLASENCIA
23/10/2019

La {bioeconomía} florestal e a aplicação das novas tecnologias ao sector centrarão as quartas jornadas técnicas e a feira {Iberforesta}, que terá lugar os dias 29 e 30 de Outubro no recinto da feira de Plasencia. Organizadas pela Associação extremenha de empresas de obra e serviços florestales e ambientais, {Extrefor}, com o apoio do Câmara Municipal de Plasencia, a Universidad de Extremadura, Junta e Assembleia provincial, entre outros, a feira contará com mais de 30 participantes, entre expositores, colaboradores e conferencistas.

O dado o deu ontem o presidente de {Extrefor}, Roque Piñeiro, quem explicou que o objetivo da associação com esta feira é «aproximar o mundo florestal à sociedade» e a informação aos agentes do sector. Assim, a programação se distribuirá em dois dias. O 29, terá mesas sobre/em relação a novas técnicas de produção florestal, como o sobreiro em regadio; o pinheiro {piñonero} em intensivo e o castanheiro e visitas a uma quinta de castanheiro em regadio e a uma indústria manufatureira de fungos.

O dia 30, se falará sobre/em relação a reptos/objetivos, oportunidades e novas tecnologias do sector florestal através de mesas e conversas com temas como a economia verde e circular, territórios inteligentes frente a incêndios, novas técnicas de extração de {resina} e novas tecnologias da informação aplicadas à ordenação florestal, para além de oficinas.

A Câmara Municipal de Plasencia, que ontem esteve representado pelo vereador de meio ambiente, Sergio López, colabora com a cessão das instalações, enquanto a subdiretora do Grau/curso universitário de Engenharia Florestal do centro universitário de Plasencia sublinhou que o apoio da universidade «é nossa responsabilidade porque {formamos} futuros engenheiros florestales e é vital que estejam em contacto com o sector empresarial». O presidente de {Extrefor} espera a assistência de entre 1.000 e 1.200 pessoas.