+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A falta de Governo impede tratar outra moura para pagar as hortas

O presidente da Câmara Municipal assinala que não se tem podido iniciar/dar início com Finanças a negociação. A intenção municipal é atrasar o adubo/prestação/pagamento do principal mais além do 2021

 

Vista de parte das hortas e do estacionamento anexo. - TONI GUDIEL

RAQUEL RODRÍGUEZ
23/10/2019

La falta de um Governo central estável está tendo consequências em vários assuntos de interesse/juro para Plasencia e um deles é a negociação duma nova moratória para o pagamento do principal do crédito de 24,1 milhões que a Câmara Municipal solicitou para pagar aos proprietários das hortas de La Ilha. Hoje, no 2021 teria que começar a pagar três milhões de euros anuais, até ao 2028, que se somariam ao milhão anual em conceito/ponto de interesses.

Seriam quatro milhões de euros, uma quantidade/quantia nada desdenhável dentro de um orçamento que dedica, neste ano por exemplo, mais de um milhão a subsidiar planos de emprego e 4,5 milhões, pendentes em parte de venda de chão, a investimentos.

Por isso, desde que em Abril de 2017 o plenário/pleno aprovou acolher-se a uma resolução do Ministério de Finanças para obter em troca uma moratória de três anos, a Pelouro de Finanças esteve a trabalhar em renegociar as condições de devolução, seguir/continuar melhorando as condições económicas municipais e co-financiar os fundos europeus.

Como já tem anunciado o presidente da Câmara Municipal em várias ocasiões, a intenção era voltar a negociar com Finanças outra moratória, mas até ao momento não foi possível e não o será até que o Governo deixe de estar em funções. Assim o transmitiram ontem tanto/golo Fernando Pizarro como o vereador de Finanças, José Antonio Hernández.

Este atraso em matéria económica se somará ao que também advertiu recentemente o presidente da Câmara Municipal, o da firma/assinatura/assina por parte do Ministério de Fomento do convénio a três grupos com Câmara Municipal e Junta para que esta possa tirar a licitação as obras de remodelação das avenidas Martín Palomino e Espanha.

O disse Pizarro antes das últimas eleições legislativas e o mesmo problema volta agora a repetir-se, a {expensas} do resultado das novas eleições de 10 de Novembro.

Mas além disso, este mesmo mês Hernández mostrou sua preocupação pelo paralisação na licitação da rotunda da N-630, também do Estado.