+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Planos {renove}

Mudanças face no PP e o PSOE em suas listas às eleições legislativas

 

Planos {renove} -

JOSÉ L. Aroca
17/03/2019

Mudanças nas caras dos dois únicos partidos que, salvo na última ocasião, têm monopolizado historicamente a representação extremenha nas Cortes Generales, Congresso dos Deputados e Senado. PSOE e PP deram a conhecer nesta semana os nomes e se tem procedido a um Plano {Renove} que substitui as caras principais dos cartazes e sobretudo, numa primeira apreciação pessoal, numas listas populares que tinham estado muito ligadas à estrutura tradicional do PP extremenho sem variar nos últimos lustros.

Só/sozinho houve uma ocasião, dizíamos, em que um terceiro jogo/partido conseguiu meter cunha e obter ata de deputado, deputada neste caso, há três anos em Junho de 2016 quando Podemos conseguiu a proeza {inalcanzada} sempre por PCE-Esquerda Unida que uma vez, recordam, ficou às portas com Eugenio Triana ao início da democracia em 1979; Amparo Botejara tem quebrado esse {duopolio}, é deputada por Badajoz dos de Pablo Iglesias, e provável que repita como candidata embora as suas possibilidades são menores que há três anos.

No socialismo, nesta renovação, o ex sindicalista e atual porta-voz parlamentar regional de PSOE-SIEx, Valentín García, encabeça a lista de Badajoz. A mudança nos bancos socialistas da Asamblea de Extremadura, a sucessão de etapas políticas, e também geracionais por idade, levará a Madrid a um dirigente do qual sempre se recordará sua imagem, arrastado por polícias locais de Mérida para que pudessem sair das garagens os autocarros urbanos numa greve geral.

Na lista de Badajoz destaca a ausência de Ignacio Sánchez Amor, chamado ao Parlamento Europeu e ao que veremos certamente tentar voltar a mediar por conta da União Europeia em ‘pequenos {balcanes}’, conflitos de fronteiras e inclusivamente étnicos ainda não decididos no continente, sentado num aeroporto meditando, desde {Chisinau}, sobre/em relação a as chaves das soluções para {Transnistria}

O {SANCHISMO} conduz em Cáceres a Belén Fernández ao liderança da lista para o Congresso, da que cai Pilar Lucio, enquanto essa agrupamento local do jogo/partido coloca em lugar relevante/preponderante para a lista da Assembleia ao segundo os {mentideros} poderoso Vicente Valle.

Pelo PP, {golpetazo} dos de Pablo Casado, pelo menos nas caras primeiras que são as que deram a conhecer, que o resto de lugares está ainda sem resolver e aí terá que ter equilíbrio de famílias, aparelhos, e poderes {fácticos}. As jogadas do xadrez de Casado para as mudanças que tenha que abordar na Extremadura começam por difundir a figura do presidente da Câmara Municipal de Trujillo, Alberto Casero, seu homem de confiança, para irle situando em lugares de primeira fila e visível, em função de o que possa passar nas autonómicas de Maio.

Neste momento, pelos eleições de Junho de 2016, o PP que os ganhou tem cinco deputados por Extremadura e quatro o PSOE, e face ao próximo 28 de Abril a previsão é que seja esta último o que se levasse entre quatro e cinco, e na zona da direita (incluído Ciudadanos, situado voluntariamente e de plenário/pleno nela) o PP embora hegemónico poderia estar ameaçado por Ciudadanos –Vitória Domínguez é uma candidata muito conhecida em sua circunscrição de Cáceres-, e prejudicado pelo cálculo aritmético D´{Hondt} num voto muito dividido.

Algo isto último, que também poderia prejudicar à casal/par PP-Ciudadanos na Asamblea de Extremadura, onde a verba/partida está muito aberta e o PSOE segue/continua com a vantagem de poder/conseguir pactuar a sua direita ou esquerda e com a ideia de não perder muito deputado. Ou nenhum. ¿Mesmo ganhar algum? .

Sexta-feira de greves; no sector público, claro. À do 8M aconteceu este passado dia 15 a greve estudantil contra as alterações climáticas. O sector privado extremenho, {atomizado} e {plagado} de pme, autónomos/trabalhadores independentes e jovens, e não tão jovens, levando curriculum de aqui para lá, não se o pode permitir.

* Jornalista