+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O "Sepad" estudará se o hospicio pode adaptar-se à lei da dependência

Conta com 125 usuários e uma boa parte deles apenas têm autonomia. Desde há tempo as irmãs que o gerem não têm ajudas da Junta

 

Responsables do hospicio, o {Sepad} e a Câmara Municipal, ontem, durante a visita. - EL PERIÓDICO

ROCÍO ENTONADO merida@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
07/11/2019

Novos tempos para o lar de idosos. A Conselheria de Saúde e Serviços Sociais vai a estudar se o centro que gerem as irmaoçinhas dos Desamparados pode adaptar-se à lei de dependência após vários anos sem receber nenhum tipo de ajuda da Junta. O diretor do Serviço Extremenho de Promoção da Autonomia e Atenção à Dependência ("Sepad"), José Vicente Granado, visitou ontem as instalações junto à vereadora de idosos, Catalina Alarcón, para conhecer suas necessidades e estabelecer novas vias de colaboração.

O lar conta atualmente com 125 usuários (o total de sua capacidade) e segundo explicou sua diretora, a irma María Bravo, uma boa parte deles poderiam ser considerados dependentes de grau III porque apenas têm autonomia. «Queremos melhorar a assistência aos idosos, tanto na qualidade como em atenção direta. A muitos lhes correspondem as ajudas à dependência pela situação que têm já e também lutamos por seus direitos», assinalou. Atualmente dispõem de 50 trabalhadores, o que obriga a contar com a ajuda «extra» dos voluntários e as irmãs para atender adequadamente aos maiores/ancianidade. Na sua maioria, trata-se de anciãos cujas famílias não podiam conciliar seu cuidado com o trabalho, mas também pessoas que estavam na rua, que não têm a ninguém ou que recebem uma pensão não contributiva.

REFORMA / Entre outras questões, a irma María quer acometer uma reforma das instalações para que se possam adaptar às certificações de lei de dependência, o que inclui melhorias nos banhos, os quartos e uma renovação do mobiliário. A diretora explicou que a visita de ontem é «uma continuação» da que o presidente da Câmara Municipal, Antonio Rodríguez Osuna, realizou o passado Agosto e mostrou-se agradecida por isso.

Por seu lado, José Vicente Granado assinalou que o "Sepad" quer conhecer pessoalmente os recursos com que conta o centro e «estender a mão» para estabelecer novas vias de colaboração. «Nosso objetivo é trabalhamos/trabalhámos por e para as pessoas de maior idade. Vamos ver que adaptação devem realizar para que possam ser beneficiários das ajudas à dependência», assegurou.