+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Trabalho ratifica as denúncias de CCOO pelos incumprimentos de Don juan

Os trabalhadores se concentrarão na segunda-feira em Mérida para protestar pelos incumprimentos. A inspeção dá a razão ao sindicato e cifra em 1,4 milhões o que deve a 505 empregados

 

Ambulâncias de Don juan, na entrada do hospital São Pedro de Alcántara de Cáceres, numa imagem de arquivo. - EL PERIÓDICO

R. C.
22/08/2019

Ambulâncias Don juan deve mais de 1,4 milhões a um total de 505 trabalhadores pelas horas extraordinárias e as horas de presença que não lhes foram devidamente retribuídas. É uma das conclusões do relatório/informe remetido pela Inspeção de Trabalho de Badajoz a CCOO, com os processos praticadas após a denúncia que apresentou o sindicato em 2018 contra a empresa de transporte sanitário, por negar-se a pagar e descontar a totalidade das horas trabalhadas. O relatório/informe está datado o 17 de Julho, embora foi o 14 de Agosto quando se deu transferência com a resolução ao sindicato. «Nos o tinham comunicado verbalmente em Julho, mas é agora quando temos tido a confirmação oficial com as considerações da inspeção sobre/em relação a nossa denúncia», assinala o responsável de Transporte Sanitário de CCOO, {Venci} García Patiño.

No relatório/informe, o inspetor considera acreditado (após comparar os registos horários da plantel/quadro e os recibos justificativos do pagamento de salários e as cotizações à Segurança Social), que Ambulâncias Don juan «não retribui todas as horas de presença que realizam os trabalhadores ou o faz por montante inferior ao devido», o que afeta aos trabalhadores que emprestam o serviço de transporte em Urgências e Emergências, tanto/golo nos PAC, como nas bases presenciais, e também aos dos serviços programados. Nessa circunstância estariam 459 trabalhadores, segundo se detalha nesse relatório/informe.

Quanto à retribuição das horas extraordinárias, a Inspeção de Trabalho também conclui que «realizam-se horas extraordinárias que não são declaradas como tais» e que não se retribuem também não devidamente, o que afeta igualmente à cotização declarada. Esses incumprimentos afetam a 105 trabalhadores.

Por tudo isso, a Inspeção de Trabalho tem aberto três atas de infração à empresa: uma de infração laboral pelas quantidades/quantias que deixaram de perceber/receber 505 trabalhadores (1,4 milhões); outra infração em matéria de Segurança Social, pelas cotizações que não se têm praticado devidamente; e uma terceira, também laboral, por superar-se os limites das horas extraordinárias que fixa o Estatuto dos Trabalhadores.

concentração/ À margem das atuações da Inspeção de Trabalho, os trabalhadores de Ambulâncias Don juan e a empresa estão citados na próxima segunda-feira, 26 de Agosto, ao ato de conciliação na Fundação de Relações Laborais, à procura de um acordo noutro dos {litigios} que mantêm, sobre/em relação a as retribuições dos trabalhadores durante suas férias.

Segundo explicam desde CCOO, a empresa não paga durante esse período alguns dos conceitos/pontos incluídos no salário como a {nocturnidad}, os feriados ou as horas de presença. Os trabalhadores se concentrarão antes da reunião para protestar pelo que consideram incumprimentos reiterativos do convénio.