+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Solidariedade face ao cancro

A Associação Oncológica Extremenha tem doado 73.000 euros a Fundesalud e a Universidad de Extremadura para potenciar programas de investigação contra estas doenças na região

 

Acordo 8 Assina do convénio para a doação de 73.000 euros a Fundesalud e a UEx, ontem. - E.P.

REDACCIÓN region@extremadura.elperiodico.com MÉRIDA
04/02/2020

Potenciar programas de investigação contra o cancro na região. Com este objetivo, a Associação Oncológica Extremenha ({AOEx}) tem doado 73.000 euros a Fundesalud e a Universidad de Extremadura (UEx), mediante a assinatura de um acordo subscrito ontem no qual esteve presente o vice-presidente segundo e conselheiro de Saúde e Serviços Sociais, José María Vergeles; o gerente do SES, Ceciliano Franco; a presidenta da {AOEx}, Isabel Rolán, e a médica e professora da UEx Noelia Durán. Rolán explicou que dos 73.000 euros, 70.000 vão destinados a Fundesalud «a partes iguais» para os Hospitais de Cáceres e Badajoz, e 3.000 para a UEx. «Isto foi possível graças a que 19 das 22 delegações de {AOEx} fizeram um esforço em atividades para reunir esta quantidade/quantia de dinheiro», sublinhou.

Vergeles salientou o estreitamente da {AOEx} para arrecadar esta quantia para trabalhar em investigação, donde sairão bolsas para intensificar esta atividade e estudos com financiamento público, sobretudo para medicamentos de cancro «com raridades» e onde à indústria farmacêutica «não lhe é rentável». Segundo recolhe/expressa Europa Press, Vergeles informou de que na atualidade se estão realizando 252 programas de investigação na Extremadura, dos quais, 79 estão relacionados com {hematología}, que «no caso dos meninos é dos cancro mais frequentes», e 173 com oncologia.

Nesta linha, o conselheiro indicou que em 2019 tiveram lugar na Extremadura 36 ensaios de investigação, «o melhor dado de ensaios clínicos» dos últimos cinco anos, que além disso realizam-se «em fases precoces». Dentro destes ensaios, o 31% afeta ao cancro de mama, o 11% ao cancro renal e o 8% realiza-se sobre/em relação a o cancro de próstata.

Por seu lado, a UEx é a encarregada de realizar um projeto de investigação sobre/em relação a o cancro de mama a cargo da médica e professora Noelia Durán, quem afirmou tratar-se de «uma iniciativa pioneira» para melhorar a qualidade de vida nas pacientes. O projeto leva dois anos em marcha e procura melhorar sintomas como a fatiga, a depressão, a ansiedade ou a deterioração cognitivo ao que vai ligado a doença.

Por ocasião do Dia Mundial contra o Cancro que se celebra hoy, a {AOEx}, com o fim de aumentar a consciencialização e mobilizar à sociedade para avançar/adiantar no controlo e a prevenção da doença, se tem somado à campanha ‘Eu sou e vou a’, com atividades em diferentes pontos da região.