+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Sete empresas solicitam 5,4 milhões do "Plano Reindus"

Pela primeira vez o programa estatal recebe petições de todas as autonomias. Concede empréstimos no valor do 75% do investimento e com três anos de carência

 

REDACCIÓN
07/11/2019

Extremadura apresentou sete solicitações à convocatória do Programa de Apoio à Investimento Industrial Produtiva 2019 (Plano Reindus) do Ministério de Indústria, Comércio e Turismo, cujas petições de empréstimo somam 5,4 milhões de euros.

Por províncias, Badajoz lidera o número de solicitações com cinco, que supõem 3,9 milhões, enquanto em Cáceres registaram-se dois por montante de 1,4 milhões ao todo, segundo informou ontem o Ministério de Indústria numa nota. O montante de empréstimos solicitados a nível nacional até ao passado 4 de Novembro, dia em que se fechou o prazo, alcança os 655,72 milhões de euros, uma cifra superior à dotação do programa, que é de 400 milhões.

Para o secretário-geral de Indústria e da Pme, Raul Blanco, «o êxito da convocatória demonstra o importante impacto territorial desta nova edição do programa, que pela primeira vez recebe solicitações de todas as comunidades, e inclusivamente de Ceuta e Melilla». Esta iniciativa reforça as ajudas às empresas para favorecer o seu crescimento e modernização, ao passo que facilita a criação de novas indústrias e, em definitiva, melhoria a competitividade do sector.

TRANSIÇÃO JUSTA / Na primeira convocatória do programa se concederam 388 milhões em empréstimos a 211 projetos. O design e a execução do plano se tem realizado mediante gestão partilhada com as comunidades autónomas. Incorpora um alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o apoio à «transição justa» em zonas vulneráveis por processos de descarbonarizaçao.

O apoio financeiro adotará a forma de empréstimos do 75% do orçamento que pode ser financiado, com um taxa de juro fixo de 1% durante um prazo de dez anos, dos quais os três primeiros são de carência.