+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O SES prepara já os folhas do próximo contrato de ambulâncias

O contrato está em vigor até 2021 com Don juan, embora a ideia é que não se alargue. Se considera um novo modelo de programados, que supõem o 75% dos transferências anuais

 

Trabalhadores de Ambulâncias Don juan em Cáceres. - EL PERIÓDICO

R. CANTERO
23/10/2019

Os técnicos do SES trabalham já na redação dos folhas do próximo contrato do transporte sanitário na Extremadura. A administração tem posto em marcha o mecanismo para tirar novo a licitação este serviço quando conclua a atual concessão a Ambulâncias Don juan (em 2021) e se consideram algumas novidades nas bases, entre elas o referido aos deslocações programadas, isto é os que utilizam pacientes que por suas condições de saúde ou por sua avançada idade, não podem utilizar/empregar outro tipo de transporte público ou privado para chegar a seu cita/marcação/encontro médica e devem fazê-lo utilizando algum tipo de ambulância.

Segundo os dados do SES, este tipo de deslocações que são estritamente emergências, se têm incrementado um 30% nos dois últimos anos e supõem o grosso dos trajetos que se realizam no serviço de transporte sanitário, nomeadamente o 75% do total: dos 800.000 serviços de transporte sanitário terrestre realizados no último ano, 600.000 foram serviços programados.

Após o incremento deste tipo de transferências estão questões como «o aumentos dos pacientes crónicos, o aumento da longevidade e o progressivo envelhecimento da população», recordam desde o SES, daí que no contrato que se trabalha se pretenda dar uma resposta a estas circunstâncias que permitam manter a sustentabilidade do serviço e a atenção aos pacientes.

Desde o SES insistem em que «não se alargará» o contrato com Ambulâncias Don juan, empresa que presta agora o serviço e com a que os problemas não têm cessado desde o princípio, embora descarta também uma rescisão agora porque não se deram as circunstâncias para isso.

O contrato do serviço sanitário é um dos mais importantes que convoca a Junta de Extremadura pelo volume da concessão. O que gere Don juan desde meados de 2017 se tirou a licitação por 139 milhões e acabou-se adjudicando à empresa andaluza por 122 milhões. Deste contrato dependem um milhar de trabalhadores.