+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A norma para que os enfermeiros possam receitar estará em 5 meses

A medida afetará aos 8.000 profissionais que trabalham na região

 

Uma enfermeira atende a uma paciente ingressada, numa imagem de arquivo. - EL PERIÓDICO

G. MORAL
04/02/2020

Já funciona em várias comunidades do país e nos próximos meses chegará também a Extremadura. Trata-se de a prescrição de medicamentos e produtos sanitários por parte dos profissionais da Enfermagem, uma medida regulada por um decreto estatal aprovado em Outubro de 2018 e que necessita um desenvolvimento normativo regional para poder/conseguir implantar-se em cada comunidade.

No caso da Extremadura, acaba-se de iniciar/dar início recentemente o procedimento administrativo para dar início esta medida. Desde/a partir de a Conselheria de Saúde e Políticas Sociais estimam que o decreto extremenho poderia estar publicado nuns cinco meses, o que suporia a implantação efetiva duma norma muito procura pelos enfermeiros e enfermeiras da comunidade. «Já se iniciou o procedimento para a aprovação do decreto; se estima uns cinco meses para a publicação», asseguram a esta diário/jornal fontes da conselheria.

O PRIMEIRO PASSO / O início da tramitação teve lugar na semana passada com a publicação no Portal da Transparência da Junta da resolução para a consulta pública que precede a tudo desenvolvimento normativo, para que qualquer pessoa possa realizar contribuições ou sugestão ao futuro regulamento. A medida poderia beneficiar a uns 8.000 enfermeiros na comunidade (é a cifra de árbitros nos dois colégios profissionais provinciais) de diferentes âmbitos assistenciais. Mas para isso deverão cumprir uns requisitos básicos, tal como está recolhido no real decreto estatal aprovado o 22 de Outubro de 2018.

Para além de contar com a correspondente licenciatura de Enfermagem, para poder/conseguir prescrever ou indicar medicamentos ou outros produtos sanitários deverão acreditar uma experiência profissional mínima de um ano ou, em seu caso, superar um curso de adaptação adequado que será oferecido pela administração sanitária de maneira gratuita através da Escola de Ciências da Saúde e da Atenção Sociosanitária.

A ACREDITAÇÃO / A obtenção dessa acreditação necessária para poder/conseguir dispensar fármacos é um dos aspetos que deve regular/orientar o regulamento extremenha. De resto, se regerá pelo decreto estatal, que estabelece que os enfermeiros e enfermeiras não poderão dispensar tudo tipo de medicamentos e produtos. Sua nova tarefa «se realizará mediante a aprovação dos protocolos e guias de prática clínica e assistência que se {efecturá} no seio da Comissão Permanente de Farmácia do Conselho Interterritorial do Sistema Nacional de Saúde», explicam desde/a partir de a administração regional sanitária.