+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Fomento adverte de que só/sozinho terá projeto da {A-43} se há consenso

Insiste em que Castela-A Mancha e Extremadura se devem pôr de acordo. A Junta segue/continua sem manifestar se prefere o traçado norte ou o sul

 

{Ábalos} intervém em ‘Os Pequenos-almoços’ de O Jornal Extremadura, na quinta-feira passada 17 de Outubro. - SANTI GARCÍA

R. SÁNCHEZ region@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
24/10/2019

Hasta que não exista um consenso territorial da solução», insistiu ontem o Ministério de Fomento. Mantém assim a sua postura de que o projeto da Autoestrada do Levante desde Mérida, a futura {A-43} entre Extremadura e Castela-A Mancha, não se retomará até que ambas regiões se ponham de acordo e apresentem uma ideia combina: ou o norte, que suporia o desdobre da N-430 até Ciudad Real e percorreria La Siberia; ou o sul, uma variante que passaria pela região da La Serena. Será nessa altura quando desde Madrid se lhe preste atenção a esta infraestrutura que leva quase duas décadas na gaveta do esqueço. Até então não terá um novo estudo informativo (já existiu um que caducou, Ambiente declarou a terminação do procedimento de impacto ambiental por {desestimiento}).

Já em Os Pequenos-almoços de O Jornal Extremadura, o titular de Fomento, José Luis Ábalos, deixou claro que era necessário que ambas comunidades implicadas {caminaran} na mesma direção. Mesmo informou de que teria uma reunião de conselheiros do ramo de ambas regiões para aproximar posturas. Desta maneira, passava a bola às dois regiões.

SEM DATA À VISTA / Mas esse encontro não se produziu nem há data prevista para que se desenvolva. E se bem Castela-A Mancha já mostrou claramente sua preferência, o traçado sul, a Junta de Extremadura não quer pronunciar-se em relação. Menos com uma eleições à volta da esquina.

Sim se manifestaram os presidentes da câmara municipal da Serena e Vegas Altas, que se têm unido aos municípios manchegos para reivindicar a opção sul (a que passa por {Almadén} e {Puertollano}). Os regedores têm protagonizado nesta semana um encontro em Don Benito e lhe têm mandado uma mensagem ao Governo central: que seja Fomento quem decida que traçado é o mais conveniente. Mas a resposta do Ministério continua a ser a mesma.

MAIS OPINIÕES / Por seu lado, em La Siberia também movem ficha. Na semana passada uma manifestação de 4.000 vizinhos/moradores pediu o desdobre da N-430, ou o que é o mesmo, o traçado norte.

Ontem também teve mais declarações sobre/em relação a como apresentar o futuro da {A-43}. O presidente da Diputación de Badajoz e presidente da Câmara Municipal de Villanueva de la Serena, Miguel Ángel Gallardo, sublinhou que o projeto final deve sair do acordo entre a Junta de Extremadura e o Estado. Também pediu que esta infraestrutura não se converta num confronto entre as duas regiões.

Por seu lado, a delegada do governo na Extremadura, Yolanda García Seco, defendeu a proposta do Ministério de Fomento: devem ser as comunidades autónomas as que cheguem a um consenso sobre/em relação a que percurso/percorrido deve ter a Autoestrada do Levante.