+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Os candidatos/candidatas extremenhos do 28-A

Onze partidos políticos por Badajoz e dez por Cáceres se apresentarão às eleições legislativas para tentar obter representação no Congresso H Atualmente há cinco deputados do PP, quatro do PSOE e um de Podemos

 

R. SÁNCHEZ
28/03/2019

Para o PSOE o voto da direita está fragmentado, o PP se pergunta que se a oferta de {Albert} Ribeiro (líder de Ciudadanos) a Pablo Casado (o candidato nacional popular) de «um pacto de Governo para {echar} a Pedro Sánchez» serve também para a região. E em Podemos esperam seguir/continuar, pelo menos, como estão. É o balanço que fazem os partidos políticos da Extremadura que atualmente contam com representação no Congresso: há cinco deputados do PP, quatro do PSOE e uma da formação {morada}. E muitas possibilidades de que a distribuição de assentos parlamentares mude. Temos de {recordar} que Extremadura tem no Congresso 10 assentos, 6 por Badajoz e 4 por Cáceres.

Nas passadas eleições legislativas (primeiro nas de 20 de Dezembro de 2015 e depois nas que se tiveram que repetir o 26 de Junho de 2016, só/sozinho seis meses depois) a candidata de Podemos pela província de Badajoz, Amparo Botejara, conseguiu quebrar o bipartidarismo que sempre se repartiam socialistas e populares. Ela é, precisamente, o único nome que repete como número um para os próximas eleições.

O {BOE} fez ontem oficial as listas de todos os candidatos/candidatas extremenhos para a próxima eleição de 28 de Abril. Se apresentam onze partidos por Badajoz e dez por Cáceres (em ambas províncias, nas últimas, foram oito formações).

Os candidatos são PSOE, PP, Ciudadanos, Unidas Podemos, Extremenhos Prex-Crex, {Vox}, Jogo/partido {Animalista} contra o Maltrato Animal ({Pacma}), Defesa do Público -só/sozinho por Badajoz, cujo porta-voz é Alfonso González Bermejo, um histórico de IU-, Por um Mundo Mas Justo, Cortes Zero-Grupo Verde e Atua. Chama a atenção que já não está UPyD.

Sánchez e Casado

No PSOE, pela província de Badajoz, o escolhido é Valentín García, deputado na Asamblea de Extremadura desde 2007, atual porta-voz do grupo socialista e um político muito próximo ao presidente da Junta, Guillermo Fernández Vara.

Por Cáceres, no entanto, a candidato/candidata será Belén Fernández, vereadora no Ayuntamiento de Cáceres e próxima a Pedro Sánchez. Como curiosidade, foi nomeada durante minutos delegada do Governo na Extremadura quando Sánchez chegou ao poder/conseguir (com nota de imprensa oficial incluída), mas depois a operação deu marcha atrás (o cargo o ocupa Yolanda García Seco, que fazia parte da Conselheria de Agricultura).

Quanto ao PP, a influencia de Casado foi chamativa. Por Badajoz e por Cáceres encabeçam a lista dois políticos que colaboraram {estrechamente} com ele na campanha de primárias. São, respetivamente, Víctor Píriz (que já é deputado, entrou após o falecimento de Alejandro Ramírez del Molino) e Alberto Casero, presidente da Câmara Municipal de Trujillo. Em seu lugar se considerou ao início o nome de Fernando Manzano (vice-presidente segundo da Asamblea de Extremadura e número dois dos populares na Extremadura), mas teve mudanças de última hora.

Em Ciudadanos será María Victoria Domínguez a candidato/candidata por Cáceres. Ela foi a única deputada na Assembleia regional do jogo/partido laranja durante a atual legislatura. Em princípio também se contemplou a possibilidade de que {repitiera} como candidata à Junta, mas finalmente seu destino será Madrid e Cayetano Polo lutará nas eleições regionais.

Por Badajoz o nome é o de María José Calderón, que apenas há um ano que milita na agrupamento. De profissão, arquiteta e desenhadora de interiores.

Por Podemos, para além de Botejara por Badajoz, pela província cacerenha irá Álvaro Jaén, atual secretário regional e o candidato à Junta em 2015. Jaén também irá nas listas regionais para as eleições de 26 de Maio. Não obstante, as possibilidades de sair eleito o 28 de Abril não são altas.

E a novidade...

Quanto ao jogo/partido que sempre gera controvérsia, {Vox}, a candidata pela província de Cáceres causou alvoroço. Trata-se de Madalena Nevado, irmã da presidenta da Câmara Municipal de Cáceres, Elena Nevado (PP), que se apresenta de novo às eleições municipais. Em seu currículo destaca-se que se iniciou recentemente na política ativa, mas que aos 18 anos se fez membro da associação Prol-Vida.

Por Badajoz irá de líder Víctor Sánchez del Real, quem faz parte do jogo/partido desde sua fundação e tem ocupado o cargo de vicesecretário de Comunicação.

A incógnita está em se esta formação conseguirá os votos suficientes para obter, pelo menos, um cadeira.