+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Os árvores da vida

Villanueva de la Sierra concluiu ontem sua Festa do Árvore que cumpre seu 215 aniversário e na qual se plantaram árvores para seguir/continuar com a tradição do padre Ramón Vacas no ano 1805

 

Sementeira/semeia 8 Presidente da Câmara Municipal e vizinhos/moradores, ontem durante a plantação de árvores. - EL PERIÓDICO

Autoridades 8 Representantes da corporação municipal, junto a membros da Assembleia provincial, Junta e Assembleia. - EL PERIÓDICO

ALEX DE MATÍAS region@extremadura.elperiodico.com VILLANUEVA DE LA SIERRA
27/02/2019

Desde há 215 anos, o 26 de Fevereiro não é dia qualquer para os vizinhos/moradores de Villanueva de la Sierra. A trovoada que provocou um incêndio que terminou com uma {arboleda} da localidade em 1805 foi o ponto de inflexão para que os mais pequenos {ayudaran} ao padre Ramón Vacas a {replantar} árvores por tudo o povo/vila. Uma tradição que em plenário/pleno século XXI se segue/continua mantendo.

Ontem se comemorou este 215 aniversário e se realizou uma representação do que aconteceu aquele 26 de Fevereiro de 1805. Vizinhos/moradores maiores/ancianidade e jovens ataviados com as roupas da época foram até ao lugar escolhido para plantar várias espécies de árvores e pôr um grãozinho de areia mais à contribuição da preservação da natureza e seguir/continuar com esta tradição.

Cupão comemorativo

A ONZE escolheu a esta Festa do Árvore para ser imagem do sorteio do cupão que se celebrou ontem. Uma festa que foi declarada Bem de Interesse/juro Cultural ({BIC}), publicado no Diário/jornal {Ofical} da Extremadura (DOE) o 10 de Julho de 2017. O motivo não é outro que ser a primeira festa ambiental do mundo e que é um facto/feito pioneiro no que diz respeito à toma de consciencializa ambientalista, mas também no associado com a educação ambiental. Os bilhetes, com uma ilustração do município, foram os encarregados de difundir esta tradição por tudo o país.

Desde 1805 e de forma ininterrupta, salvo pela Guerra da Independência e a Guerra Civil, a localidade e seus vizinhos/moradores rendem esse homenagem ao árvore com a plantação de carvalhos, azinheiras, sobreiros, castanheiros, sem esquecer o oliveira, símbolo da paz e que faz parte da identidade da localidade e a região. E não sempre se plantam no mesmo lugar. O {Carrascal}, A Fuente de la Mora ou o {Bardal}, como na manhã de ontem, foram os lugares escolhidos para isso.

O epílogo a esta celebração que leva em marcha desde no domingo, e à plantação dos árvores deste ano, o pôs uma {caldereta} de cabrito para todos os assistentes e com ritmos de charanga.

No ato, para além do presidente da Câmara Municipal de Villanueva de la Sierra, Felipe Jesús Saúl, e outros membros da corporação municipal, também estiveram presentes a presidenta da Assembleia provincial, Rosário {Cordero}, a presidenta da Assembleia, Branca Martín, o subdelegado do Governo, José Antonio García, o deputado provincial Fernando J. Grande, o diretor-geral de Ambiente, Pedro Muñoz, e a diretora do Centro das Artes Cénicas, Toni Álvarez.