+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

49 mulheres assassinadas neste ano

 

24/10/2019

No que vai de ano 49 mulheres foram assassinadas por seus casais ou ex-companheiros em Espanha. Significa que já há mais vítimas mortais pela violência machista que em 2018 (nessa altura foram 48).

Os três últimos casos se produziram em apenas 48 horas e foram em diferentes pontos do país; os três deixaram menores órfãos.

Neste ano já se superou a cifra de 1.000 mulheres assassinadas desde que começou o apuramento oficial, que se iniciou em 2003. ¿Que implica esse número? Que a violência machista já tem provocado mais mortes em Espanha que o terrorismo de ETA ao longo/comprido de quatro décadas (foram 854).

Mais dados: neste ano 37 menores perderam a a sua mãe por esta causa. Desde 2013 foram 268.

Segundo a estatística que maneja o Governo, a maioria das vítimas mortais (40,8%) tinha entre 41 e 50 anos; também a maioria eram espanholas (59,2%); e também a maioria delas (65,3%) convivia com seu alegado agressor.

Essa é a consequência mais tragicómica, a ponta do {iceberg}, o que termina saindo à luz com toda sua crueza quando já não há marcha atrás. Mas é que além disso há milhares de mulheres que vivem ameaçadas cada dia e devem seguir/continuar uma pauta de prevenção. Na Extremadura, a delegação do Governo mantém ativas 1.600 ordens de proteção a vítimas em risco (há casos meios, altos e extremos).

ONZE ANOS EM DENUNCIAR / O recurso do 016 é a primeira porta à que se chama para pedir ajuda. É um telefone que oferece informação e aconselhamiento; o seguinte passo é a denúncia.

Não obstante, temos de ter em conta que as mulheres extremenhas tardam onze anos e três meses em ir à polícia para descrever a situação que estão a viver. REDAÇÃO