+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Junta investirá 230.000 euros em arranjar o caminho de Os Coutos

Faz parte do Plano Local de Caminhos que executa a Câmara Municipal. Esta atuação afetará a um traçado de algo mais de seis quilómetros

 

O secretário-geral de Desenvolvimento Rural e o presidente da Câmara Municipal. - R. M.

RAFA MOLINA prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com MONESTERIO
26/10/2019

Devido a o extenso do concelho de Monesterio, à grande quantidade/quantia de quilómetros de caminhos que atravessam seu território e ao íngreme do terreno, a Câmara Municipal da localidade vem executando um Plano Local de Caminhos, para o qual se conta com o apoio e o financiamento da Junta de Extremadura, a Diputación de Badajoz, a Mancomunidad (conjunto de municípios) de {Tentudía}, (através de seu parque de maquinaria), e as próprias arcas municipais.

O plano, que se realiza ao longo/comprido de praticamente todo o ano, se tem visto completado com dois importantes projetos financiados pela Junta de Extremadura, o último dos quais, com um montante algo superior aos 230.000 euros, afetará a um traçado de algo mais de seis quilómetros no denominado caminho de Os Coutos. O segundo dos projetos, cuja execução prevê-se próxima, arranjará algo mais de 13 quilómetros, entre Monesterio e a localidade {onubense} de Jarro, para o qual, a administração regional destinou uns 525.000 euros.

Faz aproximadamente um ano, o secretário-geral de Desenvolvimento Rural e Território da Junta, Manuel Mejías, realizava uma visita a Monesterio, com o objetivo de apresentar ao presidente da Câmara Municipal os projetos de execução destas obras. A primeira delas, correspondente ao caminho de Jarro, já foi aprovada em seu dia pelo Conselho de Governo da Junta de Extremaudra, com o que a Câmara Municipal, segundo explica seu presidente da Câmara Municipal, Antonio Garrote, estava à espera de que o executivo extremenho desse luz verde a este «importante projeto», que após sua aprovação iniciará o trâmites de licitação para sua adjudicação e início dos trabalhos. Garrote considera «essencial» esta atuação, que afetará a um dos {parajes} mais singulares do concelho. Estas obras «incidirão diretamente no desenvolvimento económico» do município, dada a importância das comunicações com as explorações agrícolas e pecuárias, bem como por «o potencial» que representa para o sector turístico e desportivo.