+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Junta inicia os trâmites para declarar como {BIC} {etnológico} ‘a cultura da água’

Dez elementos se têm integrado na proposta de Cultura

 

Um dos exemplos de arquitetura da água em {Valverde} de {Burguillos}. - JUNTA DE EXTREMADURA

REDACCIÓN VALVERDE DE BURGUILLOS
07/04/2019

El {Diario} {Oficial} de Extremadura (DOE) publicou a resolução pela que instaura o processo para declarar a cultura da água como Bem de Interesse/juro Cultural ({BIC}) da localidade de Badajoz de {Valverde} de {Burguillos}, na categoria/escalão de Bem de Interesse/juro {Etnológico}. Dez elementos se têm integrado nesta proposta: as fonte {abrevaderos} de El Pilar e El Charco, o algibe Fuente Nueva, A Presa e a senda pedonal sobre/em relação a o antigo canal que conduz à fábrica eletro {harinera} São Luis, a fonte {abrevadero} El {Pocito}, a fonte tanque A Reina, o moinho do {Najarrillo}, a fábrica eletro-{harinera} São Luis e dois alvercas.

Como consequência da introdução no campo extremenho da distribuição alimentar através da agroindústria a partir dos anos sessenta do século XX, um inumerável grupo de imóveis conetados com os sistemas de produção tradicionais, relacionados com as infraestruturas agropecuárias e com o aproveitamento da água, perderam sua funcionalidade. Neste contexto, surgiu uma arquitetura da água para o armazenagem, a canalização e a gestão deste recurso. Desse modo, fontes, alvercas, canalizações, {cocederos}, moinhos e lagares de azeite fazem parte dos elementos antrópicos do paisagem. Além disso, como toda arquitetura de corte vernáculo ou tradicional, utiliza os materiais do ambiente adaptando-se assim a seus condicionantes.