+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O {Valverdeño} frustra ao Cacereño

A equipa de Cáceres cede perante um rival que luta pela manutenção e se afasta mais do liderança

 

Adolfo Muñoz, treinador do Cacereño, gesticula durante um jogo/partido no Príncipe Felipe. - ANTONIO MARTÍN

ÁREA 11
15/04/2019

Tropiezo del Cacereño. E dos graves. Quatro dias antes de cumprir cem anos, o conjunto/clube verde encaixou uma dolorosa derrota perante o Racing Valverdeño (2-1), que lhe afasta um pouco/bocado mais do liderança. E isso que o Mérida só/sozinho empatou com o Coria. Agora são oito os pontos que separam aos verdes do primeiro posto com só/sozinho cinco jornadas pela frente/por diante. Em vez de olhar até em cima, o {CPC} deverá vigiar por abaixo, já que o Moralo tem recuperado sua melhor versão e aperta a luta pelo subcampeonato: só/sozinho dois pontos lhe separam da equipa de Cáceres.

E das penas do Cacereño às alegrias do Valverdeño, uma equipa necessitado que foi capaz de dar a surpresa para somar três pontos vitalistas/vitais em sua luta pela manutenção, três pontos que são justo a distância que lhe separam do primeiro plantel/elenco em zona de descida/desmpromoção, o Montijo.

O duelo foi vistoso para o adepto, com um Cacereño que teve mais a bola e que a moveu sempre {mejo}, mas que no entanto {adoleció} da colagem/colada necessária como traduzir seu domínio em golos. Enquanto, o Valverdeño se disfarçou de plantel/elenco prático e esta vez sim soube {apuntillar} suas ocasiões.

O choque teve um início demolidor por parte de um Cacereño que saiu mordendo em procurar de um golo rápido. Sabe que assim os rivais se abrem e tudo resulta mais fácil. Mas não o conseguiu. Os {valverdeños} sofreram ao início, mas depois entraram aos poucos na dinâmica do encontro e conseguiram conter as primeiras oportunidades dos cacerenhos com jogadas a bola desempregado/parado. Superado o equador do período tudo se ajustou muito mais e não só/sozinho isso, os locais, numa dessas ações de estratégia que tanto/golo utilizam, conseguiam prémio mercê a um {Balsera} que de livre direto e ao borda do descanso/intervalo fez o primeiro tanto/golo do Valverdeño.

EMPATE VISITANTE / Após a volta de tendas os cacerenhos começaram a encerrar aos {valverdeños} até conseguir o empate noutra ação a bola paragem/desempregada/parada ao tire de um pontapé de canto. O tanto/golo fê-lo Gustavo. Para os verdes um empate em {Valverde} não era suficiente, necessitavam a vitória. Também os de casa.

Os locais não foram abaixo e após uma jogada de garra, Uva conseguiu anotar o segundo (minuto 70) após um centro desde a direita. Os verdes tentaram o empate, mas os {valverdeños} foram uma muralha e somaram três pontos de ouro para seguir/continuar vivos em Terceira, uma categoria/escalão da que quer escapar o Cacereño.

{valverdeño} 2

cacerenho 1

3Goles: 1-0: minuto 43, {Balsera}. 1-1: minuto 64, Gustavo. 2-1: minuto 70, Uva.

3Árbitro: Lata González. Mostrou cartão amarelo aos locais Bravo, Borrego, Roberto e Aitor; e aos visitantes Dani Muñoz, Alberto Delgado e Carlos Martínez, para além de a seu treinador, Adolfo Muñoz.

3Estadio: Municipal São Roque.

3Valverdeño: Alonso, {Samu} ({Manu}, minuto 65), Aitor, Roberto, {Álex} Bravo, {Jona} (Ismael Borrego, minuto 75), {Balsera}, Uva ({Botello}, minuto 89), {Loiro}, {Borja} Bravo e Mancha.

3Cacereño: {Bernabé}, {Chechu}, {Elías} (Dani Muñoz, {min}. 58), Alberto Delgado, {Keko}, Gustavo ({Álex} García, minuto 75), Carlos Martínez, Neto, {Gabri}, Carlos Andujar (Luismi, minuto 46) e {Eloy}.