+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

{Rai} e {Teto}, uma «tarde especial» em A Ilha

O treinador do Coria e o extremo do Cacereño esperam um duelo «mano a mano» no sábado entre duas equipas importantes em suas trajetórias

 

O local 8 {Rai}, treinador do Coria. - ANTONIO MARTÍN

El visitante 8 {Teto}, jogador do Cacereño. - ANTONIO MARTÍN

JOSÉ MARÍA ORTIZ
07/11/2019

Teto, extremo do Cacereño, chegou a jogar nos infantis do Coria antes de sobressair durante quatro épocas em Terceira. {Rai}, treinador celeste, foi um dos artífices do última promoção do {CPC} a Segunda B. Entre médias, os dois somente coincidiram nalgum treino no Diocesano. Ambos serão protagonistas estelares no sábado (17.00 horas, A Ilha) no jogo/partido da jornada em Terceira Divisão.

«Será difícil. El Cacereño tem uma grande plantel/quadro, para mim junto a Moralo e Villanovense, as melhores do grupo. Tem grandes individualidades, com futebolistas de grande categoria/escalão como Carlos Andújar, {Murci}, {Rodri}, Teto, Neto, Quadros/Marcos Torres... e poderia seguir/continuar». E incide: «são profissionais, que se dedicam exclusivamente a isto e no fim de época isto vai a marcar a diferença», diz o treinador.

«Vai ser um jogo/partido mano a mano, que espero que {ganemos} nós», diz o Messi del Batán, coincidindo no aberto do duelo. El agora jogador do decano tem sentimento muito {cauriense} dentro, já desde infantis «com Jovem de treinador», recorda. «Claro, sou sócio, como meus pais. Também do Cacereño...». Ambas hobbies lhe adoram. «Assim é mais fácil, assim me motivo mais», diz o extremo sobre/em relação a o trato no Príncipe Felipe. Naturalmente, não celebraria um tanto/golo na Ilha. «Claro que não, naturalmente que não», vala ao {planteársele} a questão.

{Rai} estende ainda mais seus sentimentos. «É a equipa referente de minha cidade e no qual estive anos com promoção incluída, claro que é especial, como também o é para mim o Miajadas, onde me trataram como em casa e também o Diocesano, com o que joguei na pedreira/formação e o que me deu a oportunidade de treinar em Terceira. Estou superagradecido e desejar-lhe o melhor. Estou em contacto com muitas pessoas dali e espero que sigam/continuem nessa dinâmica».

El treinador local, que diz que em Coria «estou muito {agusto} e que o trato de todos está a ser muito bom», prevê que Teto vai ser muito importante no Cacereño, tal como o foi no Coria e que neste choque «vai a seu casa», mas que «vamos a tentar que não se sinta/senta cómodo, como ao resto da equipa».

Com essa espontaneidade que lhe carateriza, o futebolista do decano desejaria que o Cacereño e o Coria «fossem primeiro e segundo no fim, embora será difícil» e assegura que seu plantel/elenco «tem uma plantel/quadro mais completa», embora isso não signifique que possa dar-se qualquer resultado.

É que Teto se encontrará com seus «amigos e companheiros» dos últimos anos do Coria. No caso de {Rai}, de sua época no {CPC} o único que fica é {Gil} {Sintes}, o ‘homem para tudo’. Dá igual: para os dois será uma tarde especial em A Ilha.