+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

{Rai} e a doutrina ‘{cholista}’

O treinador do Coria diminui importância à possibilidade de assaltar o primeiro posto no domingo. «A liderança é agora o menos importante», assegura

 

Treinador 8 {Rai} faz indicações a seus jogadores durante um jogo/partido. - EL PERIÓDICO

J. J. T. deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
11/10/2019

Diz a {Wikipedia} que o {cholismo} é um termo que se usa para um tipo de filosofia futebolística que envolve um tipo de identidade e estilo de jogo, mas também faz ênfase numa determinada forma de vida inspirada nas ensinamentos do {Cholo} {Simeone}. E o primeiro mandamento dessa doutrina, que tem nove mais, é o jogo/partido a jogo/partido adotado pela grande maioria dos treinadores. Também Raimundo Rosa, {Rai}, se aponta, que o traduz em «domingo a domingo». Seu Coria tem a possibilidade este domingo de assaltar a liderança num duelo direto com o Villanovense, mas não acredita o treinador que isso seja agora o importante. «É um jogo/partido mais e, como todos, vamos a ganhá-lo».

Sabe {Rai}, satisfeito com o início da época do Coria, que não será nada fácil, que o Villanovense «é uma equipa {plagado} de jogadores muito bons, de superior categoria/escalão, favorito a lutar pelos postos de cabeça junto a Cacereño e Moralo». Prol se de alto está muito seguro o preparador celeste é que vão trabalhar para pôr-selo muito difícil.

Subiu o nível de exigência para {Rai} em o seu segundo ano como treinador. Após estrear-se com muito boa nota no Diocesano, agora chegou ao Coria com o claro objetivo de lutar por meter-se entre os quatro primeiros. Para ele esse aumento da pressão é «positivo».

Está muito «contente/satisfeito» com o grupo de jogadores que tem e sabe que ainda há muita margem de melhoria. Em parte porque há vários futebolistas que ainda não têm podido dar o melhor de sim mesmos. Pedro Gilarte porque está lesionado e Dani Aparicio e {Chema} porque por motivos laborais não podem treinar tudo o que {quisieran}. Mas sabe {Rai} que os três encontrarão sua melhor versão e todos se {beneficiaran} de isso.

«Há margem de melhoria, mas nós estamos sempre com os pés no chão, com muita humildade e não parando de trabalhamos/trabalhámos», conta {Rai} minutos antes de montar-se no carro para viajar até Coria para um novo treino. Preparam o jogo/partido perante o Villanovense, «como neutralizar suas armas», a possibilidade de ser líderes. Mas isso, já sabem, não é agora o importante.