+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Organização Mundial da Saúde não pressiona para cancelar Tóquio 2020

O maratona de Tóquio pede aos chineses que não vão

 

Michael Ryan, diretor executivo da OMS para Emergências Sanitárias. -

EFE GINEBRA
15/02/2020

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sublinhou ontem, perante o temor a que os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 se vejam afetados pela atual epidemia do {coronavirus} de {Wuhan} (China), que oferecerá aconselhamiento aos organizadores do evento polidesportivo sem pressionar para que se cancele nem celebre-se.

«Não é nosso papel cancelar evento algum, {ofreceremos} aconselhamiento treinador e considerações sobre/em relação a a gestão de riscos, mas o resto é decisão do país organizador», destacou em conferência de imprensa o diretor executivo da OMS para Emergências Sanitárias, Michael Ryan.

O perito, encarregado de coordenar a resposta à doença {COVID}-19 com outras agências de Nações Unidas, recordou que a OMS trabalhou estreitamente com anteriores organizadores de Jogos Olímpicos, Mundiais e outros grandes acontecimentos, mas que a última palavra deve ser das sedes.

TRANQUILIDADE EM JAPÃO / Desde/a partir de Tóquio, o presidente da comissão coordenação para Tóquio do Comité Olímpico Internacional ({COI}), John Coates, assinalou hoy que não se contempla o transferência dos Jogos de Tóquio 2020 nem outros «planos de contingência» devido ao surto do {coronavirus}.

«Continuamos trabalhando estreitamente com a OMS e continuamos analisando a situação dos atletas chineses que vão a viajar a competições classificadoras para Tóquio 2020», acrescentou Coates.

Por outro lado, os organizadores do maratona de Tóquio, que se correrá o próximo 1 de Março, cinco meses e meio antes das Olimpíadas, recomendaram ontem a todos os corredores chineses ou residentes nesse país que se tenham inscrito na prova que não assistam à mesma pelo surto de {coronavirus}.