+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Meu irmão preto

 

LUIS PAREJO Capitán del Caceres Patrimonio
07/05/2020

Me {considero} uma pessoa muito familiar e amigo de meus amigos. Tenho falado em multiplas ocasiões da união que temos em nossa família. Se calhar desde fora tenha vezes que possa pensar as pessoas que estamos um pouco/bocado loucos, mas bendita loucura. A verdade é que não conheço uma família que tenha estado sempre tão disposta a fazer as malas e viajar para verme jogar lá onde estivesse, ou que venham até Cáceres para ver uns {playoffs}, o jogo/partido do promoção, um simples aniversário ou a conhecer a {Celia} o quanto antes. {Adoro} a todos, verdadeiramente.

Também há outra família, a que se escolhe, e esses som os amigos com os que {vives} outros momentos. Embora tenha pessoas que diga que os amigos verdadeiramente se contam com os dedos duma mão, eu aí tenho a sorte de incluir felizmente a muitos, meus {hermanitos} da ‘Andaluza’, amigos de Almería, do Madrid, meu ‘Ossos’ e meu irmão preto.

A meu irmão preto o conheci no aeroporto de As Vegas no ano 2008. Aquele verão me tinham descartado da seleção da geração do 88 e queria seguir/continuar trabalhando em verão, por isso {decidí} ir ao {Impact} {Basketball} de {Joe} {Abunassar}, em As Vegas. É considerado um dos melhores {summer} {camp}, onde passaram mais de 100 jogadores da NBA e muitos que se apresentam ao {draft} vão a ali para preparar-se face a sua primeira época NBA, uma experiência incrível. Tive a sorte de partilhar treinos e alguma {pachanga} com {JR} {Smith}, {Jermaine} Ou’{neal} e {Brandon} {Jennings}. Sem palavras, eu estava alucinando com 19 anos.

Com meu irmão preto só/sozinho tinha coincidido até então porque tinhamos jogado contra e nos tinhamos visto alguma vez por Madrid fuera das campos, mas nunca tinhamos cruzado palavra alguma. De facto, eu pensava dele que era um pouco/bocado «tontinho» e ele pensava o mesmo de mim. {Fijaos} como somos muitas vezes, {juzgamos} à pessoas simplesmente por vê-las de longe, sem conhecê-las, ou, em nosso caso, por ter jogado contra, estando a 180 pulsações e cada um defendendo os cores da sua equipa… ele por Estudantes e eu pelo Real Madrid. Isso fez que nunca nos {atreviéramos} a dirigir-nos a palavra, exceto em As Vegas.

Ali não ficava outra que cumprimentar-nos, já que estávamos na terminal de chegadas esperando as malas, {Óscar} Alvarado, {Jayson} {Granger} e eu. Por isso desde/a partir de aí, aos poucos nos fomos dando conta que os dois éramos, bom e somos, igual de parvos, que nos {reímos} e fazemos as mesmas parvoíces, estamos todo o dia procurando o lado positivo das coisas e tratando de fazer que cada segundo mereça a pena.

Não tivemos mais remédio que estar juntos e conhecer As Vegas durante as duas semanas que durou o {workout}; fazendo'ns fotos pelo {Strip}, todos os casinos e inclusivamente nos {metimos} num {Hummer} Limusina percorrendo todas as ruas… Há muitas curiosidades que me tenho que guardar, mas vos podeis imaginar as que {liamos} dois rapazes de 19 anos estando sós em As Vegas. Fizemos até cauda para comprar o Iphone 3G que saiu nessas datas… {jajaja}.

Desde então nos fizemos inseparáveis. Nos {íbamos} de férias todos os anos juntos, {Marbella}, {Mojácar}, Orlando, {Miami}, Ibiza… A de Orlando foi muito boa. Num princípio {íbamos} a ir a Nueva York, mas lhe chamaram os Orlando {Magic} para treinar e como é lógico não lhes podia dizer que não, e como eu já tinha os voos a Nueva York, me fui só/sozinho. {Visité} o que pude em três dias e me {bajé} a Orlando a verle treinar… umas instalações {chulísimas}.

Também me {echa} uma mão com meu campus em Almería, vindo a estar com os participantes cada vez que pode. De facto os primeiros anos se passava ali a semana inteira, sendo um mais da organização.

{Fijaos} o ponto de união que temos, que foi ele quem me levou à igreja o dia de meu casamento com o carro/automóvel. Eu lhe chamava Tartaruga (motorista de {Vincent} {Chase} na série O Séquito). Agora também é pai e é casado. Lhe desejo a melhor das sortes e que oxalá possa seguir/continuar usufruindo do desporto que tanto/golo ama por muito tempo mais.

#{YoMeQuedoEnCasa} recordando a meu irmão preto… {because} {we} {are} {TNT}.