+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Messi-Suárez, sociedade letal

Leo e Luis somam 53 golos, mais que todos os clubes de Primeira salvo o Madrid

 

Goleador 8 Luis Suárez. -

JOAN DOMÈNECH
08/04/2019

Entre Leo Messi e Luis Suárez somam 53 golos. Mais que todas as equipas de Primeira exceto o Madrid, que acumula 55 tantos graças à contribuição de toda o pessoal. Os dados descrevem a dimensão da sociedade que formam na dianteira do Barça e que vão completando {Dembélé}, {Coutinho} e {Malcom}, em menor medida.

{Antoine} {Griezmann} deveu pensar no sábado, durante os longos/compridos bocados nos que não pôde tocar a bola, isolado como estava no ataque do Atlético, órfão já de seu colega Diego Costa, que poderia ter sido essa terceira pata do tridente. Se o teria passado melhor. No sábado e os demais partidos da época. Se teria sentido mais acompanhado e, talvez, levaria mais golos que os 13 que tem anotado na Liga.

{Griezmann} escolheu ser a estrela indiscutível do Atlético, e o melhor pago do clube, como em seu dia preferiu sê-lo {Neymar} no {PSG}. {Griezmann} perdeu a Liga face ao que pôde ser seu Barça, depois de/após ter perdido a Copa e a Champions semanas antes. Mas é campeão do mundo, dirá, e Messi e Suárez terão que esperar três anos para voltar a sonhá-lo.

Não sonham com a consecução do {triplete}, o segundo que celebrariam juntos desde o 2015, o terceiro de Messi, que com o 2009 conseguiria outro recorde imbatível. A Copa está adiada (a final se jogará o 25 de Maio), a Champions se reinicia esta quarta-feira com a visita a Manchester, e a Liga está {encarriladísima} após a vitória sobre/em relação a o Atlético.

{Gestada}, naturalmente, com os golos de Suárez e Messi. Consumada, para não variar, no último terço de jogo/partido. Quase a metade dos golos do Barça (40 de 81) se têm marcado na última meia hora de jogo/partido. A influencia da sociedade no plantel/elenco é superior e vai em aumento. Os 33 golos de Messi mais os 20 de Suárez significam o 65% dos tantos do Barça. Uma percentagem que se eleva, desde Janeiro, ao 81% dos golos da Liga. Messi tem marcado 18, {Suarez} soma 9 e {Dembélé}, {Semedo}, {Rakitic}, Piqué, {Malcom} e {Coutinho} têm realizado uma mínima contribuição.

É agora, na fase final da campanha, quando se deveriam observar os benefícios das (poucas) dosagens de {Ernesto} {Valverde}. A fratura no rádio do braço direito de Messi e os incómodos na joelho direito de Suárez lhes diminuíram partidos em Outubro e Novembro. Os maiores/ancianidade descansos procedem da renúncia a participar nos amistosos da seleção, embora Messi já voltou com a argentina. Suárez se perdeu dois convocatórias com a uruguaia por aquela lesão da joelho e outra no tornozelo em Março.

Esse menor cansaço acumulado em dois jogadores que cumprirão 32 anos se traduz num rendimento melhor com a fatiga. Os dois marcaram por volta de do minuto 90 em {Villarreal}, transformando o 4-2 num 4-4 e salvando um ponto. Perante o Atlético acrescentaram dois ao acertar nos cinco últimos minutos. Tudo em cinco dias. «Demos um grande passo adiante», explicou {Lucho} depois de/após ganhar a verba/partida a {Giménez} e {Godín}.