+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Manchester City é sancionado com dois anos sem jogar na Europa

A UEFA vê «infrações» a nível económico

 

EFE LONDRES
15/02/2020

A UEFA anunciou que o Manchester City não poderá participar as duas próximas épocas em competições europeias e deverá pagar 30 milhões de euros de multa por «cometer graves infrações» nas regulações de licenças desse organismo e nos limites financeiros.

A Câmara de Adjudicações da UEFA considerou, uma vez revistas todas as provas, que o {City} tem «cometido graves infrações nas regulações de licenças da UEFA e nas regulações relativas ao ‘{fair} play’ financeiro, ao exagerar seu benefício de patrocínadores nas informações transmitidas à UEFA entre 2012 e 2016».

Além disso, este organismo tem acusado/arguido ao {City} de não cooperar na investigação do caso. «A Câmara de Adjudicações tem imposto umas medidas disciplinares ao Manchester City que incluem a exclusão de participar nas competições da UEFA nas dois próximas épocas (2020-2021 e 2021-2022) e o pagamento duma multa de 30 milhões de euros)», assinala.

Esta decisão pode ser apelada pelo {City} perante o Tribunal de Arbitral Do Desporto (TAS). «Se o Manchester City exerce esse direito, o esclarecimento da decisão tomada pela Câmara de Adjudicações não será publicada até à decisão do TAS», acrescenta.

Perante este anúncio, o Manchester City respondeu rapidamente com um comunicado público no qual mostrou-se «dececionado, mas não surpreendido». «O clube sempre tem desejado a necessidade principal de procurar um organismo e um processo independentes para tratá-lo de forma imparcial», explica.

QUEIXAS / «Em Dezembro de 2018, o Investigador Chefe da UEFA antecipou publicamente o resultado e a sanção que pretendia impor sobre/em relação a o Manchester City, mesmo antes de começar qualquer tipo de investigação (...) É um caso iniciado pela UEFA, arguido pela UEFA e tribunal/réu/julgado pela UEFA».

«Com este processo discriminatório agora finalizado, o Clube tratará de conseguir um juízo imparcial com a máxima celeridade possível e, portanto, em primeira minuta iniciará diligências perante o Tribunal de Arbitral Do Desporto tão cedo quanto possível», anuncia.

Esta decisão não afeta à época atual do Manchester City, na qual está classificados para oitavos de final da Liga de Campeões, nos que se enfrentará ao Real Madrid.