+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O Lobón vive com ilusão e otimismo o jogo mais importante da sua história

A equipa da Primeira Extremenha jogará na próxima quarta-feira em Melilla

 

Uma formação inicial do Lobón desta época. - CEDIDA

JOSÉ LUIS VELA BADAJOZ
07/11/2019

Somente faltam seis dias para que a AD Lobón, da Primeira Divisão Extremenha, dispute o jogo mais importante da sua história: a eliminatória prévia da Copa del Rey em casa do Melilla CD, do grupo nono de Terceira. A eliminatória a jogo único se jogará na quarta-feira 13 às 20.30 horas em A Espiguera de Melilla. Se a equipa de Mario Ballesteros ganha, se medirá a um rival de Primeira exceto os quatro que disputam a Champions: Barcelona, Madrid, Atlético e Valência que não entrarão no bombo até os dezasseisavos de final.

Para uma localidade de 2.700 habitantes é um grande êxito. «O povo está muito ilusionadp e todos temos o repto de passar», destaca o presidente, José Luis Salido, enquanto o treinador Mario Ballesteros acrescenta que «a importância é máxima. Nos jogamos alcançar o máximo nível. Faz muito tempo era impensável e agora é o jogo mais importante da nossa vida. São 90 minutos para lutar pela glória».

O ponta de lança e capitão Pedro Juan, que enfrenta seu sexto ano no Lobón após ter jogado em Terceira com o Mérida, entre outros, não estará por rotura do ligamento cruzado anterior. Mas está tão iludido como o que mais. «É um momento que tudo futebolista sonha. Estamos com a ilusão de uma criança. Embora não possa jogar, meus companheiros sim e fá-lo-ão o melhor possível para conseguir passar. Temos de estar ao pé do canhão vendo o futebol desde outro prisma e estou animado».

Mario Navia, que passou de guarda-redes do Extremadura a marcador do Lobón, acrescenta que «daremos um prémio mais para dedicar-lhe a Pedro Juan a vitória». Também não irão Pache por motivos laborais e Juanra, prestes a ser pai. A seus 38 anos e após Badajoz, Mérida, Sanvi, Valdelacalzada, Santa Amalia e São José, o objetivo/meta Jorge Caldito ‘Kouba’ se o toma com tranquilidade. «É outro jogo/partido mais. Demos a face contra equipas de superior categoria».

O povo está capotado com a equipa e umas 50 pessoas animarão ao Lobón em Melilla. Se deslocarão em autocarro até Málaga para apanhar posteriormente um barco enquanto o pessoal viajará em autocarro até Madrid e daí em avião. “Para os jogadores será bonito, certamente não o voltem a viver e quero que o usufruam”, diz o presidente José Luis Salido.

O melhor é o que estão conseguindo “um grupo de amigos com uma vila unida”, explica comovido Pedro Juan para acrescentar que “tudo o que temos conseguido foi entre todos, dando nosso grãozinho de areia. O êxito deste plantel/elenco é o dê ao máximo de cada um. Somos um bom grupo de amigos e é o que nos dá os frutos”.

BADAJOZ E {PUEBLONUEVO}, OPÇÕES

No estádio de São Blas o Lobón certificou seu passe para esta ronda {copera} após remontar um 1-0 em Trujillo para ganhar por 3-0 na volta. No mês de Julho se enfrentaram dois dos três campeões de grupo da Primeira Extremenha após a renúncia do Fuente de Cantos. Mas se passam a eliminatória, o Lobón não poderão jogar perante um Primeira em seu estádio, por temas de infraestrutura e já tem estudado várias opções, entre elas o Novo Viveiro de Badajoz. O presidente José Luis Salido argumenta que “num princípio nos disseram que não poderíamos jogar em Lobón porque o jogo/partido seria transmitido e a iluminação é insuficiente. Mas falei em seu dia com o diretor desportivo do Badajoz que me deu facilidades. Também em {Pueblonuevo} me o têm oferecido e se faz falta nos montariam bancadas {supletorias}. Mas vamos a pensar em passar e depois já virá tudo o resto”.

Por último, o treinador Mario Ballesteros declara que “o mais importante é que {lleguemos} nas melhores condições. Tudo será novo como Alfredo Landa com suas malas quando ia a Madrid e agora o que menos nos preocupa é o jogo/partido. Que chegue o autocarro a tempo a Lobón para chegar com hora a Madrid, que não {perdamos} malas no aeroporto, que {lleguemos} bem a Melilla, que os adeptos também cheguem bem, a comida/almoço no hotel…A preocupação é como sairá tudo e depois como vamos a jogar”.