+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O {Leverkusen} retrata ao Atlético

Os {rojiblancos} voltam a defraudar durante uma hora e perdem três pontos com justiça na Alemanha

 

EFE LEVERKUSEN
07/11/2019

O Atlético de Madrid aprofundou em seu declive com uma derrota na Liga de Campeões mais incontestável no desenvolvimento que no desenlace contra o {Bayer} {Leverkusen} (2-1), que lhe superou entre os despropósitos defensivos, como o golo em própria porta de Thomas Partey, e a {improductividad} ofensiva.

Enquanto, sustenta as opções intactas na Liga e na Liga de Campeões. A melhor notícia nuns tempos sombrios. De facto, o Atlético depende de sim mesmo para abordar os oitavos de final. Necessita uma vitória nas dois jornadas restantes, contra o Juventus em Turim e o {Lokomotiv} de Moscú no estádio {Wanda} Metropolitano, para consegui-lo. A liderança exige mais, como ganhar ao conjunto/clube italiano, na cume com três pontos mais. Dez minutos antes de começar o jogo/partido, a 2.400 quilómetros, {Douglas} Costa marcava o golo da vitória do Juventus em Moscú (1-2); um tanto/golo que lhe pressionava ao Atlético pelo liderança, mas também lhe abria a possibilidade de a classificação matemática antes de o esperado, embora pendente de seu triunfo. Nem aproximou-se a ele.

Irreconhecível pela enésima vez esta época, pendente do que podia fazer seu rival e nada do que podia fazer ele, inadvertido e não concreto em seus {embarullados} ataques -não teve nenhuma ocasião no primeiro tempo- e sustentado pelo oportunismo de Felipe ou Bonito em vários cruzes, meteu-se ele mesmo o 1-0.

Na lista de virtudes o {Bayer} {Leverkusen}, para além de a velocidade e a verticalidade ao contragolpe, figuram os pontapé de canto. Um verdadeiro problema esta quarta-feira para o conjunto/clube vermelho e branco, que insistiu nessa concessão. Lhe ofereceu sete oportunidades desde a esquina, até que o aproveitou, como tanto/golo tinha avisado antes.

Isso sim, à complexidade dos fechados lançamentos de seu rival, lhe deram ainda mais perigosidade uns quantos {despejes} frustrados. Um, de Felipe, o {escupió} o trave; outro, de Thomas, foi um despropósito de tal magnitude que pareceu mais um remate que uma ação defensiva. Foi o 1-0 em própria porta no 41.

60 MINUTOS / Não existiu o Atlético no ataque numa hora inteira. Nem no meio nem nos metros finais. Nem em vertical nem em horizontal. Nem por em cima nem por baixo/sob/debaixo de. Também não em campo contrário.

Entregue a vantagem ao {Bayer} {Leverkusen}, caminho do intermédio com a certeza de que jogar pior era difícil, ao Atlético lhe ficava o recurso da segunda metade, ao que se agarrou contra o {Alavés}, contra o {Sevilla}... Mas esta quarta-feira, não o conseguiu.

No minuto 55, {Volland} anotou o 2-0. Ao centro de Karim Bellarabi não chegou Mario Hermoso, mas o controlo do avançado/ponta de lança dentro do área foi demasiado cómodo, enquanto Felipe aguentava frente a ele à espera de acontecimentos; um tiro raso ao que não chegaram nem ele nem {Oblak} para agravar um encontro inadmissível.

Até ao minuto 60 não atirou a baliza, com um livre direto de {Lemar}, no qual põe {Simeone} uma fé que habitualmente o francês não corresponde. O segunda mudança foi {Vitolo}, no qual o treinador não demonstra nem uma mínima parte de tal confiança. Mesmo marcou um golo, no minuto 93, por meio de Álvaro Morata. O 2-1 avivou a esperança da equipa vermelho e branco de um empate milagroso. E o teve o avançado/ponta de lança, cuja oportunidade final a repeliu o guarda-redes {Hradecky}.

Nem mesmo assim esquivou uma deceção indubitável, num retrato realista do atual Atlético.

{LEVERKUSEN} 2

atlético 1

3Goles: 1-0, m. 41: Thomas, em própria porta. 2-0, m. 55: {Volland}. 2-1, m. 93, Morata.

3Árbitro: {Damir} {Skomina} (Eslovénia). Expulsou por vermelha direta a {Amiri} (m. 85).

3Estadio: {Bay} Areia.

3Espectadores: 30.000.

3Bayer {Leverkusen}: {Hradecky}; {Weiser}, {Tah}, {Sven} {Bender}, {Wendell} ({Retsos}, m. 81); Bellarabi, {Aránguiz} ({Baumgartlinger}, m. 64), {Demirbay}, {Amiri}; {Havertz} e {Volland}.

3Atlético de Madrid: {Oblak}; {Arias}, Felipe, Hermoso, {Lodi} ({Lemar}, m. 52); {Koke}, Thomas, {Saúl}; Correia ({Héctor} Ferreira, m. 70); Diego Costa ({Vitolo}, m. 60) e Álvaro Morata.