+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Kroos dá vida ao Madrid e a Zidane

El alemão marcou o golo de um plantel/elenco branco que gozou de multiplas ocasiões perante o {Galatasaray}

 

Kroos celebra o golo do Madrid em Estambul. - REUTERS

R. MORALES (EFE)
23/10/2019

El Madrid assinou um triunfo {balsámico} no Ali Sami Yen (1-0), com clara superiodidade em imagem sobre/em relação a o {Galatasaray} mas não no marcador por seu falta de medida certa no remate, conquistando um triunfo em Liga de Campeões oito meses depois graças a um tanto/golo de Toni Kroos com o que recupera a acalma e a {Thibaut} {Courtois}.

Estava obrigado a melhorar sua imagem e cumpriu no Ali Sami Yen. Voltou a demonstrar que tudo é questão de atitude e esforço, da motivação com a que encaram encontros. El de Turquia era decisivo para pôr um pouco/bocado de luz a seu péssimo início na fase de grupos e o venceu com solvência, reforçando imagens danificadas. A de Zidane especialmente, com quem estão os jogadores quando se questionam as qualidades de um treinador que ganhou três ‘Champions’ seguidas/continuadas, e a de {Courtois}, ao fim decisivo.

A atitude do Real Madrid foi diferente desde o início. Dominador, solidário no esforço. Tentando resgatar a identidade do qual um dia, não faz muito, foi campeão. Em só/sozinho cinco minutos {Hazard} e {Casemiro} tinham avisado com mais perigo que no capítulo para esquecer de Maiorca. Sabiam o que se jogavam e encontraram facilidades do rival. Abriu o campo Zidane para desarmar a linha de três centrais. Aparecia com frescura {Rodrygo}, novidade na sua primeira titularidade. Provava a firmeza de {Muslera} com um {derechazo} e culminava com centros seus aparecimentos.

Se há um avançado/ponta de lança que usufrui com espaços é Benzema. De sua mobilidade sempre surgiu perigo. Lhe faltou definição quando pôde marcar. Com rosca ao quarto de hora e perdoando um claro contragolpe antes do descanso/intervalo. Para nessa altura já ganhava o Real Madrid. {Hazard} tinha liberdade para seus movimentos, num deles se associou com Karim, lhe faltou confiança para bater-la e procurou o passe atrás para que Kroos assinasse o tanto/golo o dia do seu partido cem em Liga de Campeões.

SEM PONTARIA / Só/sozinho a falta de pontaria explica que fosse o tanto/golo do triunfo. El Real Madrid deixou 27 remates, quatorze deles à baliza de um {Muslera} que se multiplicou para não encaixar mais. Ainda mais decisivo era {Courtois} que fechava sua grande noite com a terceira paragem/desempregada/parada, abaixo a {Belhanda}.

Não sofreu o Madrid num ‘inferno turco’ vindo a menos que acabou enfrentando-se a seus jogadores quando apalpou a impotência. El Real Madrid defendeu como os dias grandes e encontrou no contragolpe a melhor opção para sentenciar. Foi incapaz de fazê-lo e lhe sobraram oportunidades para isso. Arrancou perdoando Benzema, só/sozinho após o passe em longo/comprido de Kroos.

Apenas um {testarazo} de N’{Zonzi} no primeiro pau que não encontrou porta inquietou a Zidane, que sai reforçado de um momento crítico, orgulhoso do desdobre físico e de personalidade de seus jogadores e lamentando unicamente a falta de colagem/colada. Seu Real Madrid recupera o pulso em Liga de Campeões.

{galatasaray} 0

real madrid 1

3Gol: 0-1, m.18: Kroos.

3Árbitro: {Daniele} {Orsato} (Itália). Admoestou a {Seri}, N’{Zonzi}, {Marcao} e Mariano pelo {Galatasaray}; e a Kroos e {Courtois} pelo Madrid.

3Estadio: Ali Sami Yen.

3Espectadores: 24.000.

3Incidencias: Encontro correspondente à terceira jornada da Liga de Campeões.

3Galatasaray: {Muslera}; {Luyindama}, {Donk} ({Feghouli}, m.46), {Marcao} {Teixeira}; Mariano, N’{Zonzi}, {Seri} ({Emre} {Mor}, 77), {Nagamoto}; {Belhanda} ({Bayram}, n.66), {Babel} e {Andone}.

3Real Madrid: {Courtois}; {Carvajal}, {Varane}, Sergio Ramos, {Marcelo}; {Casemiro}, {Valverde} ({James}, m.79), Kroos; {Hazard} ({Vinicius}, m.78), {Rodrygo} ({Jovic}, m.82) e Benzema.