+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Descobrimentos, clássicos e fiascos

Entre os 20 jogadores que alinhou o Cáceres Património da Humanidade teve de tudo: boa parte deles alcançou seu melhor momento de forma na reta final da liga e também teve profundas deceções e contratações muito dificilmente explicáveis

 

Por volta de do capitão 8 Luis Parejo é observado por vários de seus companheiros enquanto dirige-se a eles. - A. MARTÍN

JAVIER ORTIZ deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
09/05/2019

En o balanço individual da época dos jogadores do Cáceres Património da Humanidade há um certo denominador comum: quase todos foram de menos a mais e deram o melhor de sim mesmos no momento supremo. Mas em cada um deles há matizes.

Guille Corrales

Por primeira vez desde que chegou a Cáceres, faz cinco anos, tem sofrido um recuo. Não se lhe tem visto a gosto durante boa parte da campanha e acabou perdendo a titularidade. Isso sim: conseguiu dois triplos decisivos em {Palencia} e isso que o de atirar de longe segue/continua sem ser o seu (25,2%). 5,5 pontos, 3,8 assistências e 7,3 de avaliação em 23 minutos.

{Andy} {Mazurczak}

{Acertó} {Ñete} {Bohigas} quando disse uma e outra vez que a lesão do base polaco tinha facto/feito muito dano ao plantel/elenco na primeira volta. Quando ao fim esteve são se confirmou como um diretor de jogo resolva. Decidido e inteligente ao máximo. 7,8 pontos, 2,6 assistências e 7,3 de avaliação em 22 minutos.

{Arturo} Cruz

Como substituidor temporal de {Mazurczak} lhe avalizava um bom curriculum em LEB Plata, mas apenas teve momentos em positivo para além de seu medida certa na jornada inaugural em Barcelona. {Queridísimo} por seus companheiros, isso sim. 3,9 pontos e 3,6 de avaliação em 13 minutos.

{Niko} {Rakocevic}

«Respeito aos que me apitam, mas não têm memória». O disse num dos piores momentos e suas atuações na reta final voltaram a silenciar a seus críticos, como passou outros anos. Se fosse futebolista se diria que «tem golo» e no fim se lhe terminam perdoando os maus dias e os despistes defensivos. 11,3 pontos, 38,3% em triplos e 9,3 de avaliação em 25 minutos.

Luis Parejo

Pese a que assegura ter trabalhado como sempre, o sexto não foi o melhor ano em Cáceres do capitão. Isso sim: riscou a perfeição nos encontros mais quentes, como os de {Palencia} e Madrid. Tem uma ascendência especial com os adeptos e resulta difícil já {imaginárselo} com outra t-shirt. 8,8 pontos, 3,5 ressaltos e 9,4 de avaliação em 25 minutos.

Dani Martínez

Tras nove meses sem jogar por uma grave lesão de joelho, indubitavelmente lhe custou muitíssimo voltar a pegar/apanhar uma boa dinâmica. Suas percentagens ressentiram-se (40,8 em tiros/lançamentos de dois e 27,3% em triplos). E apesar de tudo continua a ser um valor de futuro por sua atitude e {polivalencia}. 3,9 pontos e 3,5 de avaliação em 15 minutos.

Alex Jordá

La estrela do filial, o Torta del Casar, jogou 16 partidos, sobretudo quando Martínez estava lesionado. En {EBA} tem demonstrado a progressão que supõe treinar todos os dias com os maiores/ancianidade. 0,4 pontos em 6 minutos.

{Dmitry} {Utolin}

Um grande mistério como um {discretísimo} estremo russo acabou jogando (muito mau, claro) na LEB Oro. Quando por fim se fechou sua rescisão, também não demonstrou quase nada em LEB Plata com o Zamora. 1,9 pontos, 0,6 ressaltos e -1 de avaliação em 12 minutos.

{TJ} {Sapp}

Um ‘{funky} {man}’, como diria Andrés Montes. Muito extrovertido no balneário e com uma ‘{jeta}’ enorme sobre/em relação a a pista quando pegava a bola. Arrastou certa irregularidade e evidenciou um seguimento muito relativo dos sistemas, mas acabou somando mais que diminuindo. 8,6 pontos e 5,5 de avaliação em 20 minutos.

{Angelo} {Chol}

Durante grande parte do ano pareceu um interior sem o nível para a LEB Oro. De facto, seu primeiro plantel/elenco em Espanha ia ser o Albacete, em Plata. Sim que melhorou jogando como ‘5’ com Roberto Blanco em lugar de como ‘4’, como fazia com {Ñete} {Bohigas}. Atlético, mas muito pouco/bocado preciso baixo/sob/debaixo de o aro. 5,8 pontos, 3,5 ressaltos e 5,5 de avaliação em 16 minutos.

Dão {Trist}

O clube {echó} o resto a nível económico com sua contratação já metidos na segunda volta e {acertó} claramente: resolutivo, com personalidade, incansável e contundente (às vezes, de mais). O tipo de jogador ao que encarregar liderar a manutenção num momento negro. E cumpriu largamente. 13,7 pontos, 7,5 ressaltos e 17,9 de avaliação em 34 minutos.

{Cole} {Huff}

Tardará em esquecer-se o ‘3+1’ desde a esquina perante o {Covirán} Granada que certamente mudou o destino. Acabou representando o papel de sexto homem, um {lujazo} quando trata-se de um ‘4’ aberto tão certeiro, essa figura imprescindível no {basket} atual. 10,1 pontos, 3,2 ressaltos e 7,7 de avaliação em 22 minutos.

{Bakary} {Konate}

Com esse físico tão tremendo se esperava certamente mais dele quando contratou em Fevereiro, mas se vê que ainda é um jogador em desenvolvimento, que tem que aprender os {entresijos} do basquetebol de nível. 2,2 pontos, 2,9 ressaltos e 3,3 de avaliação em 10 minutos.

Johan Kody

Aunque teve cintilações positivas, a estreia em Oro lhe vinho grande e acabou postergado a ser quinto pívot e {sparring} nos treinos. Não deu um só/sozinho problema por isso. 4,3 pontos, 2,7 ressaltos e 3,8 de avaliação em 13 minutos.

{Marlon} Johnson

Uno desses jogadores que parece que o têm tudo e no fim dão pouco/bocado. Seu grande chassi e aceitável boneca não lhe serviram para que, quando chegou a onda de derrotas, o clube lutasse por solucionar uns nunca bem explicados problemas burocráticos que arrastava. 7,8 pontos, 6,5 ressaltos e 12,3 de avaliação em 27 minutos.

Víctor Serrano

Damnificado pela chegada de {Trist}. E isso que não o estava fazendo mau, como mostram seus números. Mas Blanco pedia um jogo mais dinâmico que chocava com seu estilo. Lhe foi pior mesmo em La Corunha depois. 10,3 pontos, 5,4 ressaltos e 10,6 de avaliação em 24 minutos.

José María Balmón

Otro contratação estranha a seus quase 38 anos: vinho para a equipa {EBA} e {echó} uma mão no Cáceres, jogando 3:13 perante o {Leyma} Corunha. Ao pouco/bocado tempo se foi embora porque lhe saiu uma oferta laboral em sua terra. 2 pontos.

{Cubero}, López e Santos

También disputaram algum minuto estes jogadores do juniores {canterano} do São Antonio.