+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O derby da amizade

Os presidentes de Badajoz e Mérida, Joaquín Parra e Paco Puertas, sublinham que o jogo/partido de domingo no Novo Viveiro «tem que ser uma festa do futebol entre equipas irmãs»

 

Os presidentes de Badajoz e Mérida, Joaquín Parra e Paco Puertas, com as t-shirts do ‘rival’ de domingo. - CD BADAJOZ

JOSÉ LUIS VELA deportes@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
24/10/2019

Com o repto/objetivo de retirar tensão ao Badajoz-Mérida e convertê-lo no derby da amizade, os presidentes ambos clubes, Joaquín Parra de los {blanquinegros} e Paco Puertas dos emeritenses, analisam o encontro de domingo às 17.30 horas no Novo Viveiro, num ambiente muito distendido. «Estou com muita ilusão/motivação e vontade, desejando que chegue o derby, jogarlo e ganhá-lo», diz o dirigente que fará de anfitrião. «Isso o veremos no domingo...», lhe responde o visitantes. Tudo com um tom simpático.

O mandatário emeritense elogia ao de Badajoz. «O Badajoz tem tido muita sorte ao encontrar um presidente assim. Joaquín é uma pessoa excecional e um empresário cinco estrelas». Enquanto Parra também tem palavras para Puertas. «Não sabe o Mérida a sorte que tem tido com Paco, que é um tio espetacular. Eu sou de {Sevilla}, ele é de Madrid e provavelmente por isso nossa forma de ser é diferente, mas ele é {super} sério e ninguém vai a querer mais que ele ao Mérida. Está a fazer tudo o impossível pelo clube como em suas empresas e espero que esteja sempre por detrás de nós, mas em cima».

COMO EM CASA / O presidente do Badajoz mostra seu mal-estar pelo facto de que o derby se declare de alto risco. «Isto não pode passar», sublinha Parra, explicando que «quero que Paco Puertas se sente comigo com a sua família e esteja em Badajoz que é seu casa. Tem que ser uma festa do futebol, somos irmãos, somos extremenhos. Oxalá o Badajoz, Mérida, Don Benito, Extremadura, Cacereño... estivéssemos em Primeira. ¿{Sabes} que futebol se veria na Extremadura? E é o que temos que conseguir».

Paco Puertas considera que temos de focalizarlo unicamente no desportivo. «É bonito e temos de fomentar a rivalidade no campo, esse pique são, desportivo, baseado só/sozinho nisso, de que vamos a ganhar, de que vamos a conseguir a {manita}... O Athletic [de Bilbao] e a Real [Sociedade] têm máxima rivalidade mas estão irmanados nos momentos importantes. Tem que ser uma festa desportiva no qual as duas hobbies usufruam e vivam o tema desportivo. Estou convicto de que faremos um bom jogo/partido e a sorte estará do lado do Mérida».

Parra define o jogo/partido como «o derby da amizade» e também lamenta que o declarem de alto risco porque na fã {zone} não poderão estar os adeptos do Mérida e também não poderão entrar no autocarro. «Não nos deixam que entrem e queremos que as hobbies celebrem neste dia de festa. Há uns protocolos {bestiales} de segurança e não pode passar entre duas equipas irmãos».

GRANDE AMBIENTE / Se espera a presença duns 550 adeptos do Mérida que chegarão até Badajoz em seis autocarros fretados pelo clube emeritense. Estarão localizados no fundo sul. Enquanto, o Badajoz prevê uns 13.000 {blanquinegros} no Novo Viveiro. Parra pede ao Badajoz «um {puntito} de mais qualidade. Se está jogando bem, os resultado estão aí, mas quero que joguem melhor. Se o fiz saber ao treinador e aos jogadores e me disseram que sim, que o vão a tentar, que fazem tudo o que podem e um me disse que se a pressão... A pressão a tenho eu a final de mês. Se queremos ser jogadores grandes, uma equipa grande, a pressão a têm o Madrid e o Barcelona e os grandes. Eles sabem que para ser grande temos de jogar com pressão. O que saiba terá que jogar com pressão e o que não, não está qualificado para jogar num plantel/elenco grande. Eu mesmo cheguei a dizer-lhes que depois de/após Natal estou disposto a reforçar ao plantel/elenco com um {puntito} mais de qualidade».

E Puertas reconhece que «não era o início da época que esperávamos, mas no domingo se começaram a ver coisas, faz dois domingos também em Múrcia e estamos convencidos de que a equipa recuperará a linha que queremos para estar entre os dez primeiros que é o objetivo. Estou convicto de que o vamos a fazer porque temos hobby/adeptos, jogadores, campo... Este domingo será o primeiro golpe na mesa dispostos a dar-vos um susto que é o que queremos».