+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Dar a vida não é suficiente

O Cáceres, péssimo desde a linha de três pontos, desperdiça uma grande ocasião perante o Palma

 

{Niko} {Rakocevic} lança em suspensão. Como o resto de atiradores do Cáceres, não teve seu dia (0 de 5 em triplos). - F. VILLEGAS

Roberto Blanco dá instruções a seus jogadores num tempo morto. - F. VILLEGAS

JAVIER ORTIZ deportes@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
26/10/2019

Casi, mas não. O Cáceres Património da Humanidade imaginou a vitória durante muitos minutos ao desativar a um rival como o B The Travel Brand Mallorca-Palma, mas na hora da verdade não rematou e caiu no Multiusos (62-68). Fica a sensação de que se pôde ter dado a surpresa porque os das ilhas Baleares, um dos favoritos para o promoção à Liga Endesa, deram uma versão bastante deteriorada de sim mesmos, mas a do conjunto/clube de Roberto Blanco não foi melhor, apesar de seu indiscutível entrega. Não basta com dar a vida. Temos de meter alguma de vez em quando. O tremendo 5 de 26 em triplos recorda o repetido durante a pré-época e que parecia hibernado neste primeiro mês de competição: o Cáceres viveria e morreria desde 6,75.

É surpreendente que, contra prognóstico, igualasse a seu oponente em ressaltos e contivesse seu jogo interior. Algo é algo. Dói, mas não é uma derrota fora de guião. Se sabia que nesta fase de calendário --esperam na próxima semana {Breogán} e Ourense, outros dois ‘grandes’-- aguardavam momentos amargurados.

Surpreendeu especialmente a presença de {Sylvester} {Berg} como titular. Seu treinador lhe tem muita fé, embora foi um movimento que não acabou de sair bem apesar de começar com um tripla. Ao pouco/bocado tempo fez dois faltas e teve que sair {Jordy} {Kuiper}, o teórico proprietário da posição de ‘4’. {Kosta} {Jankovic}, caminho já a ser uma contratação frustrado, passou a ser a terceira opção.

O jogo/partido decorria movido, mas com muitos erros nas dois canastras. Seria uma constante. Particularmente boa foi a defesa do Cáceres, que só/sozinho permitia anotar desde a linha de tiros/lançamentos livres a um Palma se calhar surpreendido por tanta resistência (15-15, final do primeiro quarto).

Ricardo Úriz pôs ao serviço da equipa sua versão mais {anotadora} e seus 7 pontos e a energia inesgotável de Jorge Bilbao na zona rival foram importantes para um minúsculo descole (30-25, {min}. 17) que acabou em nada. Ninguém conseguiu uma diferença tão ‘grande’ na primeira parte.

Nenhum dos dois contundentes ligava uma fase continuada de bom jogo. E não é que os tiros/lançamentos fossem incómodos na sua maior parte, mas sobravam os nervos e faltava alguém que se decidisse a pegar/apanhar o comando. No descanso, 34-33.

O passo pelos balneários não serviu para que começar a ver aro com clareza. As canastras seguiam/continuavam chegando a conta-gotas. Tanto/golo que, quando Cáceres {enganchó} um par delas seguidas/continuadas, cresceu a esperança (43-38, {min}. 26), mas o Palma respondeu com dois triplos consecutivos também, uma faceta na qual, nesse momento, estava num terrorífico 3 de 20. Acabou com 8 de 29.

Nada mais claro que o 48-48 com o que se iniciou o último quarto para explicar o que {habái} acontecido até então: igualdade máxima e pouca pontaria. Tudo se decidiria em 10 minutos.

O Palma começou melhor o desenlace. Voltou a acertar desde longe e isso lhe deu a iniciativa pela primeira vez em muito tempo. E não só/sozinho isso. Dois triplos mais de Thomas Bropleh, até então invisível, deixaram quase ‘{groggie}’ aos verde-negros (51-62, {min}. 37). Não faltou a fé para apelar à épica e a reação extremenha lhe levou a lançar vários triplos no minuto final que tivessem quase igualado o choque. Mas não era o dia, não.

CÁCERES 62

PALMA 68

3Marcador por quartos: 15-16. 34-33 (descanso/intervalo), 48-48 e

3Árbitros: Muñoz, Lázaro e {Peláez}. Sem eliminados.

3Pabellón: Cidade de Cáceres.

3Espectadores: 1.200.

3Cáceres Património da Humanidade: Aitor Zubizarreta (3), {Ferrán} Ventura (7), {Niko} {Rakocevic} (10), {Sylvester} {Berg} (3), {Arkeem} Joseph (8) -cinco inicial- Ricardo Úriz (7), {Jordy} {Kuiper} (7), {Parejo} (3), Jorge Bilbao (8), {Kosta} {Jankovic} (0). Milão {Nikolic} (6)

3B The Travel Brand Maiorca-Palma: Alex Hernández (4), {Lofberg} (15), {Bertone} (1), Boris Borac (5), {Chema} González -cinco inicial- Thomas Bropleh (16), Carles Biviá (5), {Babantude} {Olumuyiwa} (0), {Erik} {Quintela} (6), Xavi Rey (5), {Linqvist} (11).