+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Álvaro Martín, melhor atletismo espanhol no ano 2018

O {llerenense} é premiado após o ouro europeu conseguido em Berlín

 

Álvaro Martín, ao recolher seu prémio no Conselho Superior de Desportos. - E. P.

EFE deportes@extremadura.elperiodico.com MADRID
17/03/2019

O extremenho Álvaro Martín, campeão de Europa de 20 quilómetros marcha em Berlín, foi proclamado ontem melhor atletismo masculino espanhol de 2018 durante a Gala do Atletismo espanhol, celebrada na sede do Comité Olímpico Espanhol. A também {marchadora} María Pérez, granadina, conseguiu o título feminino. É a primeira vez que dois desportistas dessa modalidade são escolhidos melhores atletas espanhóis num mesmo ano.

Martín, nascido em Llerena, acontece como vencedor ao {mediofondista} {Adel} {Mechaal} e reinicia a tradição de {marchadores} (Miguel Ángel López ganhou quatro anos seguidos/continuados, o último em 2015. «É um orgulho, pelos dois grandes companheiros que eram candidatos. Me o tomo como um repto/objetivo para tentar fazê-lo ainda melhor em 2019», comentou.

Os outros candidatos eram o {burgalés} Luis Alberto Hernando (campeão do mundo de {trail}) e o velocímetro {Bruno} Hortelão (bronze em substituições 4x400 e quarto individual nos Europeus).

O atletismo extremenho foi operado em Janeiro passado da joelho esquerdo e assegura que «a reabilitação vai muito bem». Hoy mesmo competirá no campeonato de Espanha de 20 {km} marcha, defendendo seu título nacional em {Oropesa} de Mar ({Castellón}).

«Vai tudo muito bem, embora não não tenho o alta médica. Levo três semanas de treino sem problemas e espero que o sector de marcha possa ter também neste ano {grandísimos} resultados internacionais», comentou. Sobre/em relação a as modificações no programa da marcha que prepara a Federação Internacional ({IAAF}), recordou que «não há ainda uma decisão e ainda seguem/continuam dando-lhe voltas. Vamos ver como fica tudo isso. Em qualquer caso, o que sim se apoiamos todos é que a tecnologia nas desqualificações tem que utilizar/empregar-se. O {chip} daria muita credibilidade a nosso desporto».