+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O ‘plano Messi’ para superar o muro de quartos na ‘Champions’

{Valverde} concede mais descanso/intervalo que nunca à estrela antes da cita/marcação/encontro com o United

 

O ‘plano Messi’ para superar o muro de quartos na ‘Champions’ -

MARCOS LÓPEZ
15/04/2019

Hay um plano. Faz meses que está desenhado. Faz meses também que se está executando. É o plano Messi, desenhado por {Valverde} desde o início da época com a cumplicidade de Leo Messi. Un roteiro para administrar à estrela argentina, que tem tido mais descanso/intervalo que nunca nos primeiros 50 partidos do curso. Joga menos, mas mantém idêntica eficácia goleadora. O objetivo era que Leo chegasse nas melhores condições possíveis às últimas curvas da Liga (quase decidida) e da Champions (0-1 na ida de {Old} {Trafford}) para superar amanhã a fronteira maldita dos quartos-de-final. O intransponível muro com o que se tem topado Messi e o Barça nos três últimos anos.

APRENDER DE ROMA / Tanto/golo {Valverde} como o astro argentino têm seguido/continuado com fidelidade esse plano tendo sempre na memória o sucedido em Roma. Há um ano, o Barça jogava contra o {Leganés} no Camp Nou. Ganhou 3-1 num jogo/partido no qual o treinador alinhou a sete jogadores ({Ter} {Stegen}, {Semedo}, Piqué, {Sergi} Roberto, {Rakitic}, Messi e Luis Suárez) que dias depois sofriam o drama, que ainda lhes marca, no estádio Olímpico italiano. Agora, no entanto, na viagem de {Old} {Trafford} ao Camp Nou com paragem/desempregada/parada prévia em Huesca só/sozinho há um jogador que estará nos três partidos. É o objetivo/meta alemão. Os outros 10 que pisaram inicialmente O {Alcoraz} não têm possibilidades de saltar amanhã ao templo azul-vermelho para superar essa maldita fronteira que atormenta aos azuis-vermelhos.

LIBERTADO DE ARGENTINA / Messi não só/sozinho se tem sentido libertado em mais partidos de que costume mas para além disso esquivou sua presença com a seleção argentina, doído como estava pelo pobre papel no Mundial de Rússia. Desde Junho de 2018, só/sozinho jogou um jogo/partido e foi em Madrid. Aquele amistosos/jogo particular com Venezuela, com derrota incluída no {Wanda} Metropolitano (1-3), foi sua única presença com a {albiceleste} na qual voltou a sofrer outra trovoada de críticas. Mas Leo tem sabido dosear-se, embora isso não modifica em absoluto seu acordo/compromisso com a seleção.

«O que não quer, {lamentablemente} me vai ter que aguentar», contou a estrela fortalecendo seu amor a Argentina. No Barça, {Valverde} o tem cuidado mais que nunca. É um dos treinadores que melhor tem especialista/conhecedor a Messi. Até ao extremo de que o próprio avançado/ponta de lança elogiou publicamente sua grande projeto tático em {Sevilla} quando apostou em um 4-4-2 «{ordenadito}», segundo disse Leo, para ganhar ao {Betis}. Embora tudo fica focado a Europa, o objetivo que se tem marcado o conjunto/clube azul-vermelho para esta época, o grande repto/objetivo apresentado desde o mês de Agosto por sua grande estrela. Amanhã, a resposta.