+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Uma corrida/curso pela vida

A arrecadação se destina integra à associação. Em 2018 superou os 17.000 {€}. Sairá de Cánovas e percorrerá quase cinco quilómetros pelo centro da cidade

 

Organizadores na apresentação da corrida/curso contra o cancro, ontem. - FRANCIS VILLEAS

Organizadores na apresentação da corrida/curso contra o cancro, ontem. - FRANCIS VILLEAS

GEMA GUERRA
11/10/2019

Rosa Semeo tem agora 40 anos e vive em Cáceres. Passaram três anos mas não se esquece. Aos 37 lhe detetaram um cancro de mama e por fortuna conseguiu superá-lo. Foi em Outubro de 2016 quando se apalpou um inchação e foi ao médico. A mamografia diagnosticou o tumor e deteve seu tempo. Foi intervinda, lhe {reconstruyeron} o peito, recebeu sessões de quimioterapia e perdeu o cabelo. Mas saiu adiante. Diz que fê-lo por sua filha {Valeria}, que nessa altura tinha dois anos. «Era meu único afã». Agora tem cinco e a sua mãe acaba de recolhê-la das classes de teatro.

Rosa já está totalmente recuperada embora sustenta que cada vez que vai às revisões volta «o medo». «O processo da doença o levei bem, foi logo quando {flaqueé}», relata. Nessa altura se refugiou no apoio da Associação Espanhola contra o Cancro ({Aecc}) e agora é voluntária. Se dedica a ajudar a outras mulheres como ela. «Lhe {devuelvo} à associação o que me deram», expõe.

A cacerenha será uma das tantas mulheres que participará na marcha cor-de-rosa o 20 de Outubro em Cáceres. Fá-lo-á pelas mulheres que, como ela, padecem cancro, e pelas que não têm podido superá-lo. Dará seu grãozinho de areia para que as que passem por sua mesma situação tenham os recursos para seguir/continuar. Insiste aí na importância de destinar fundos à investigação e prevenção e reduzir a idade mínima para as mamografias. «Temos de consciencializar à pessoas», põe de relevo.

Precisamente à investigação e à prevenção se destinarão os fundos que se arrecadem na segunda edição da corrida/curso da mulher e a marcha cor-de-rosa. A prova prevê superar a arrecadação do ano passado, 17.000 euros, e o número de participantes, aspira aos 6.000. Os detalhes foram oferecidos ontem numa conferência de imprensa à que assistiram autoridades e representantes a organização técnica, que corre a cargo de {Pebetero}. Segundo detalhou ontem seu diretor, Juan Luis Frutos, a rota partirá às 10.30 horas de Cánovas e percorrerá cinco quilómetros pelo centro urbano em dois modalidades: marcha e corrida/curso. Muda neste ano o itinerário e {enfilará} Primo de Ribeiro, Hernán Cortés, avenida de Espanha, avenida de Alemanha até à rotunda de {Renfe} e a objetivo/meta se instalará em Cánovas. A prova conta com o patrocínio de O Jornal Extremadura.

As inscrições custam seis euros e os interessados em participar podem inscrever-se através da web de {marcharosa}.com ou em sedes físicas como a de {Pebetero} em Capellanías e o escritório da associação contra o cancro na esquina de León Leal com Irmandade de dadores de sangue. Por enquanto, a organização contabiliza já 2.000 dorsais.

Em Espanha o cancro de mama é um dos tumores mais frequente entre as mulheres e neste último ano se têm diagnosticado 32.000 novos casos, segundo os dados que maneja a Sociedade Espanhola de Oncologia Médica ({Seom}). Não obstante, graças aos avanços, a taxa de cura que supera o 80%. A esse 80% ao que pertence Rosa. Por isso irá, para que tenha mais cor-de-rosa, porque a corrida/curso importante é a que se faz pela vida.