+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Um de cada dez meninos vivem com {papá}, mamã... e o tabaco

Os espanhóis são os europeus que mais cigarros consomem em suas casas em presença dos meninos H Algo mais da metade costumam fazê-lo

 

Um de cada dez meninos vivem com {papá}, mamã... e o tabaco -

LOLA LUCEÑO
01/07/2019

Em países como França, Reino Unido, Austrália, Chipre ou parte de Estados Unidos e {Canadá} está proibido fumar num veículo com menores ou grávidas. Uma lei que os enfermeiros espanhóis querem levar adiante. Mas entretanto, cabe {recordar} que três de cada dez fumadores passivos que morrem são meninos, que um 10% dos menores de 14 anos estão expostos diariamente ao tabaco em seu lar, e que eles não podem escolher.

Os espanhóis são os europeus que mais fumam em casa em presença de meninos. Um 52% dos fumadores deste país (5,8 milhões) o fazem. A Associação Espanhola contra o Cancro ({AECC}) detalha o grave lista de riscos para os pequenos. «Neles, o número de respirações por minuto é superior que nos adultos, portanto inalam com maior frequência o fumo ambiental e mais produtos químicos», recorda. Além disso, os menores de 2 anos têm o aparelho respiratório e o sistema imunológico em processo de maturação, pelo que seu organismo não pode atenuar os danos dos agentes tóxicos do fumo.

Alguns dos efeitos na saúde dos meninos são os seguintes, segundo a {AECC}:

MENOS PESO CORPORAL

Os filhos de pais fumadores correm maior risco de ter baixo/sob/debaixo de peso ao nascer, bem como uns pulmões mais débeis.

MORTE SÚBITA DO LACTANTE

Aumenta a probabilidade de sofrer este síndrome naqueles bebés cujas mães têm consumido tabaco durante o gravidez.

INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS

Ao fumar se cria/acredite monóxido de carbono, o que leva a uma má oxigenação dentro do carro, segundo explica a {DGT}. Quando o corpo recebe menos oxigénio aumenta a irritabilidade, o cansaço, a sonolência, a dor de cabeça, a frequência cardíaca e a pressão arterial. A {AECC} recorda que os meninos que sofrem estes ambientes padecem um 30% mais de infeções respiratórias. O fumo é capaz de causar nos pequenos patologias tais como pneumonia, bronquite e {bronquiolitis}.

{OTITIS}

Os filhos de fumadores apresentam um 50% mais de {otitis}. A exposição ao fumo causa inflamação e obstrução provocando dor e infeção. Olho porque as infeções de ouvido são a causa mais comum de perda de audição.

IRRITAÇÕES

Cresce a probabilidade de irritações de {mucosas} (garganta, olhos e nariz). O tabaco gera mal-estar nos olhos como {escozor} e excessivos {parpadeos}.

RENDIMENTOS

Os filhos de pais fumadores ou meninos expostos ao tabaco por longos/compridos períodos de tempo têm um maior número de internamentos hospitalares durante seu primeiro ano de vida.

{ASMA}

As substâncias depositadas em assentos, loja de tecidos e {alfombrillas} podem ser cancerígenas e resultam especialmente perigosas para os mais propensos a sofrer ataques de {asma}. De facto, os meninos que inalam fumo têm um 20% mais de crise {asmáticas}, sem esquecer o risco de tosse crónica. Estas substâncias se mantêm vários dias e abrir a janela não serve de nada.

ACIDENTES

A própria {DGT} recorda que acender um cigarro leva 4,1 segundos, o que implica que, circulando a 100 {km}/h, se percorrem 113 metros sem atenção plena à estrada. {Fumárselo} requer outros 3-4 minutos, isto é, circular seis quilómetros com uma só mão bem colocada no volante. Atirar a cinza, desligar o cigarro... tudo isso põe em risco a segurança via. O 60% dos acidentes e o 30% das vítimas mortais se produzem por falta de atenção na condução, e fumar é uma causa frequente de distrações.