+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

«Avisei-lhes de um controlo de trânsito para que o seu filho tivesse cuidado»

O polícia acusado de dar delações a um clã da droga, nega-o

 

O policia municipal acusado/arguido, durante sua declaração ontem na Audiência. - FRANCIS VILLEGAS

SIRA RUMBO CÁCERES
27/02/2019

O policia municipal de Plasencia acusado de avisar dos controlos aos cabecilhas de um clã dedicado ao tráfico de drogas  defende se no juízo dizendo que só lhes avisou de um controlo de trânsito «para que o seu filho tivesse cuidado». Declarou ontem na Audiencia Provincial de Cáceres, na terceira jornada do juízo no qual estão imputadas 30 pessoas. Há mensagens de telemóvel nos que diz à mulher dum dos chefe do grupo que tem que falar com o seu marido «urgente» porque «a sua liberdade pode perigar». Assegura que lhe advertiu porque tinha visto ao seu esposo acompanhado duma pessoa «que não tinha boa reputação».

Na sua declaração  desvinculou se do clã familiar e assegurou que só conhecia a três deles (pai, mãe e filho) pelo seu trabalho como polícia. «São pessoas notórias dentro da sua comunidade e conhecidos a nível policial», assinalou a perguntas da fiscal. Negou também que lhes desse delações em troca de droga. «Não recebi nem soliciteidroga a ninguém porque nem era nem sou consumidor», advertiu à sala. Na sua casa e na bilheteira da chefatura encontraram-se embrulhos de cocaína mas disse que procediam da droga que tiravam nos controlos que faziam nas escolas: «Quando fazemos um revista e o confiscamos por não atirá-lo ali mo guardo no bolso e me os levo a casa, muitas vezes se me esquece atirá-los», assinalou. O Ministério Público solicita para ele cinco anos de prisão e doze de inabilitação.

Para além de ele ontem declararam os últimos nove acusados (há 30 ao todo, quase todos membros da mesma família). Todos negaram qualquer participação com o grupo nem a sua vinculação com o tráfico de drogas. Deles só dois acederam a responder às perguntas do fiscal. O juízo continuará até ao 8 de Abril.