+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Os hoteleiros já estão incapacitados

 

11/01/2019

Os hoteleiros de A {Madrila} já estão incapacitados. Através de uma mensagem ao telemóvel foram requeridos para que ontem se apresentassem no tribunal para receber/acolher pessoalmente o erro que lhes condena e informar-lhes de que, desde esse momento, devem cumprir a pena de inabilitação imposta (dos onze, dois não poderão dedicar-se à hotelaria durante um ano e nove meses; seis, um ano e meio e dois, um ano).

Estão pendentes, não obstante, de que o tribunal esclareça se dita inabilitação só/sozinho afeta à gestão de estabelecimentos onde tenha uma equipa de música ou também ao desenvolvimento do ofício. De ser assim, não poderiam trabalhamos/trabalhámos também não por conta alheia como empregados de mesa em nenhum local.

Também passaram ontem pelo tribunal/réu/julgado a ex-presidente de Câmara Carmen Heras e o exvereador Carlos Jurado, aqueles que foram também requeridos para comunicar-lhes a sentença firme/assine e seu condena de oito anos e meio de inabilitação. As penas de cadeia às que foram condenados tantos hoteleiros como políticos estão ainda pendentes de que o tribunal decida se se suspendem definitivamente (no caso de Heras e Jurado) ou até que se resolvam os indultos que os hoteleiros apresentaram.

Por outro lado a acusação particular, que representa aos vizinhos/moradores que interpuseram a queixa-crime criminoso/criminal que deu início a este processo, apresentaram um escrito/documento no qual indica ao tribunal/réu/julgado que não se opõe a que se suspenda a pena privativa de liberdade, sempre que se paguem as indemnizações, as multas e as costas (isto último poderia superar os 30.000 euros). A Procuradoria ainda não se tem pronunciado sobre/em relação a este assunto. H SIRA RUMBO