+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Feafes denúncia que a administração lhes deve 200.000 euros em faturas

Correspondem aos despesas de três meses e os empregados levam dois meses sem receber. A Junta justifica o atraso no mudança de convénio e fará face aos pagamentos «nestes dias»

 

Trabalhadores de Feafes dão um oficina de informática a usuários de um centro. - EL PERIÓDICO

GEMA GUERRA epextremadura@elperiodico.com CÁCERES
04/02/2020

Feafes Cáceres denúncia que a administração lhes deve 200.000 euros em faturas. O coletivo que trabalha com pessoas com doenças mentais na capital cacerenha e que gere um centro em Mejostilla critica que a Junta de Extremadura não lhes tem pagado as quantidades/quantias correspondentes aos últimos três meses e nas que se incluem conceitos/pontos como os salários dos trabalhadores, os recibos de luz e água e os cargos aos fornecedores e outros fornecimentos. Nesse sentido, a presidenta da entidade, Mar {Moreno}, denúncia que os empregados levam «dois meses sem receber» e lamenta que temem a que se produzam cortes de fornecimentos se não há solução imediata. «Nos vão a cortar/fechar a luz e os fornecedores se estão negando a contratar mais serviços».

Nessa linha, asseguram que desde/a partir de a direção se têm posto em contacto com a administração regional sobre/em relação a este assunto e asseguram que a resposta foi que «não tinha dinheiro, que não funcionava o programa ou que até que não se abram os orçamentos não vão a pagar as quantidades/quantias», expõe a presidenta.

Em declarações a este diário/jornal, a Conselheria de Saúde e Serviços Sociais confirma o atraso nos pagamentos e assegura que foi provocado «pelo incremento das taxas salariais após a bilhete em vigor do XV convénio coletivo em 2019 pelo qual se têm tido que dar 4,7 milhões de euros». Em qualquer caso, a Junta insiste «em que está a fazer face aos pagamentos nestes dias». À margem de o que anuncia a Junta, {Moreno} avança também que desde/a partir de o governo regional se lhes tem situado a uma reunião com o conselheiro de Saúde, José María Vergeles, o 10 de Fevereiro, para abordar este assunto.

Cabe {recordar} que Feafes em Cáceres atende a uma trintena de pessoas, 16 tuteladas pela administração, e emprega a 38 pessoas, o 90% mulheres. Por outro lado, a presidenta assegura que a este falta de pagamento temos de somarle que as condições do contrato com o que operam estão obsoletas. Critica que o atual leva alargado desde/a partir de 2018 e exige que se faça uma revisão de preços porque já não se adapta às necessidades e «já não cobre os custos».