+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

«Em eletrónica o mais importante é renovar-se»

O cacerenho Alberto Álvarez, de 27 anos, empreende com um negócio que tem como objetivo principal reduzir ao máximo o preço final do produto

 

Alberto Álvarez 8 El cacerenho em Eletro Álvarez, sua empresa. - ANTONIO MARTÍN

CELIA GÁLVEZ NÚÑEZ caceres@extremadura.elperiodico.com CÁCERES
15/04/2019

Después de trabalhamos/trabalhámos 11 anos na venda e reparação de eletrodomésticos e eletrónica «me tenho atirado ao lama». São as palavras do cacerenho Alberto Álvarez que faz tão somente uma semana inaugurou Eletro Álvarez, um negócio que dirige junto a seu casal/par.

Tem 27 anos e trabalha desde os 15, etapa na qual lhe tocou combinar os estudos com o seu primeiro emprego. Ao início assistia a o seu posto de trabalho de manhã e à tarde estudava, até que lhe fizeram um contrato a jornada completa e teve que «fincar os cotovelos» à noite. Algo que não lhe supõe problema dado que afirma, com total segurança, que nunca deixará de estudar, nem muito menos de aprender em seu campo. «Neste sector é muito importante não abandonar nunca a formação, estar constantemente renovando-se», acrescenta.

A ideia de empreender sempre lhe tem rondado a mente, mas há/faz pouco mais de um ano tornou-se em seu objetivo e abandonou seu trabalho. «É muito difícil ir-se embora de um emprego com contrato fixo». Embora fê-lo porque era o momento.

Seu casal/par decidiu unir-se à aventura de formar uma empresa. Depois de/após um tempo procurando local encontraram um que encaixava com o que queriam. Recorda que anteriormente, faz uns quarenta anos, foi uma garagem, depois uma funerária, logo uma loja de ferragens e finalmente um local vazio e fechado. Esse foi o escolhido, sobretudo por seu localização. Está situado no ponte/feriado São Francisco, junto a uma loja de móveis. O compraram com suas poupanças e o reformaram por completo, tanto/golo que as obras têm tardado um ano. El estabelecimento de serviço de assistência técnica está decorado pelos dois proprietários, «procurávamos uma fachada diferente». Mas o principal não é o local, mas a finalidade do negócio: reparações que {abaraten} o preço final do produto. «A maioria dos oficinas substituem peças, aqui {reparamos} o danificado, assim o arranjo duma televisão pode reduzir-se de 150 euros, que subida um módulo eletrónico novo, a 60». Para além de arranjar, Eletro Álvarez tem à venda e eletrodomésticos, acessórios de informática e eletrónica.

El jovem conta que os princípios não são fáceis, «meu casal/par foi a que me tem ajudado a ser feito o projeto», revela. Por isso anima a inovar e a empreender em seu sector. «Temos de desenrascar-se, clientes e sair à rua». O que Álvarez fez, porque «tinha alguns clientes». Agora procura alargar sua clientela e também sua cidade, na qual decidiu ficar.