+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Às vezes informático, outras treinador de {calistenia}

Álvaro Huertas, de 22 anos, estuda Engenharia Informática na Universidad de Extremadura, trabalha num projeto de supercomputação em {Computaex}, é treinador de {calistenia} num ginásio e se dedica ao montagem de videoclipes musicais

 

Álvaro Huertas 8 El jovem cacerenho que concilia a informática com a {calistenia} e a edição de vídeos. - FRANCIS VILLEGAS

CELIA GÁLVEZ NÚÑEZ
01/07/2019

Álvaro Huertas Martín fez na sexta-feira passada o último exame da corrida/curso. É um cacerenho de 22 anos que estuda Engenharia Informática na Universidad de Extremadura e trabalha num projeto de supercomputação da Fundação de Computação e Tecnologias Avançadas da Extremadura ({Computaex}). Embora ao longo do dia tem tempo para fazer outras muitas coisas.

É treinador de {calistenia}, um sistema de exercício físico no qual só/sozinho se utiliza o peso do corpo, num ginásio de Cáceres. No entanto, faz cinco anos a capital cacerenha não conhecia esta modalidade de treino. «Com 17 anos me apontei ao ginásio e não me gostava o ambiente», conta. Mas o desporto sim. «{Empecé} a ver vídeos de {calistenia}, me chamou a atenção e junto a um amigo o trouxe a um ginásio de Cáceres». Não obstante, quis ir mais além e esse ano contactou com a câmara municipal para pedirle instalações públicas nas que poder/conseguir realizar o desporto. Ali lhe disseram que tinha que elaborar um dossier com a sua proposta, mas não obteve resposta. Foi a princípios do ano passado quando a câmara municipal pôs-se em contacto com ele e se construíram as instalações em A Mejostilla. El próprio Álvaro foi à inauguração das mesmas. Também tem dado oficinas deste desporto por colégios e institutos extremenhos. Na segunda-feira que vem, o dia 7 de Julho, compete no campeonato nacional de {calistenia} após apurar-se no autonómico em Maio.

El cacerenho assegura que: «as coisas importantes da vida, as tenho aprendido lendo». Acha que sua cidade não incita a procurar oportunidades, mas que sim existem. «Ao longo do dia penso muitas coisas de Cáceres, entre elas que há muito potencial que explorar. Nomeadamente, os alunos da UEx têm muita capacidade, poderiam contar com eles, em lugar de contratar a empresas externas», sugere.

Além disso, a Álvaro sempre lhe tem gostado a informática. «Com 13 anos ganhava algo de dinheiro {pirateando} telemóveis», recorda. Também lhe tem interessado o mundo audiovisual. «Em 2017 recebi uma bolsa de estudos e {decidí} investir parte dela em comprar-me uma câmara». A primeira ideia que teve foi conciliar sua paixão, a {calistenia}, com o montagem de vídeo. Fê-lo durante um tempo e continua em isso. Mas um dia, no ginásio, um aluno de {calistenia} lhe contou que era rapista, conhecido no mundo da música como {Juanka} {Shoul}. «Terminamos gravando um videoclipe».

Desde então, Álvaro não tem desempregado/parado de gravar e editar vídeos para diferentes artistas. Num futuro, acredita que esta atividade passará a fazer parte de sua vida profissional, embora sempre acompanhado da informática e a {calistenia}. Por enquanto, desde sua cidade.