+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

«Ainda {encesto} nas canastras nas que jogava Michael Jordan»

 

De esquerda a direita, Juan Pérez, Pilar Rivera e Juan Rosa. - FRANCIS VILLEGAS

De esquerda a direita, Juan Pérez, Pilar Rivera e Juan Rosa. - FRANCIS VILLEGAS

ALBERTO MANZANO
22/07/2019

Encestan de três, jogam futebol, montam em bicicleta, vão ao ginásio e têm mais de 70 anos. Juan Pérez, Pilar Rivera e Juan Rosa são três exemplos de que a vida na ‘quarta juventude’ pode estar cheia de alegria, otimismo e atividade física. ¿Trata-se de casos extraordinários? Miguel Jiménez, médico de cabeceira cacerenho, assegura que esta mulher e estes homens ativos, que se exercitam sobre/em relação a a bicicleta, em cima de uma fita num centro desportivo, atiram a canastra ou batem pontapés a a bola «constituem um exemplo não tanto/golo pelas coisas extraordinárias que realizam, mas porque demonstram que se fazemos desporto regularmente durante toda a vida vamos a poder/conseguir ser ágeis e saudáveis ao chegar a ser adultos maiores/ancianidade».

É o caso de Juan Pérez, prestes a cumprir 77 anos e mais conhecido como ‘{Braganovic}’, carinhoso {apelativo} que lhe têm posto seus amigos por sua destreza com a bola e porque é proprietário da mercearia onde vende roupa interior face ao Multiplas. Desde sempre tem tido grande hobby/adeptos pelo basquetebol, tanto/golo é por isso tem a marca de 23 triplos anotados seguidos/continuados (a linha de 6,75 metros) e assegura que há testemunhas que o corroboram. Se diverte com jovens e maiores/ancianidade que praticam este desporto e a todos lhes inculca os benefícios do {basketball}. «Dá jogo em plantel/elenco, concentração, te ensina a competir e se fazem muito boas amizades», explica. ¿Que porque é que faz desporto? Pois porque não sabe fazer outra coisa. «Não me imagino uma vida sentado no sofá esperando-as vir. Além disso, graças ao basquetebol {conseguí} deixar de fumar», indica satisfeito.

Em sua rica trajetória vital, entesoura dezenas de curiosidades. A melhor, sem dúvida, é esta: «Ainda {encesto} nas canastras nas que jogava Michael Jordan», recorda ao relembrar que os aros da pista central do pavilhão V Centenário vieram das campos nas que se jogaram os Jogos Olímpicos de Barcelona 92, nas que participou o célebre basquetebolista americano.

NO {GYM} / «Vir ao ginásio quatro vezes à semana é como passar a ITV», anota Pilar Rivera, de 71 anos, que foi chefe de Unidade da Dependência de Arrecadação da Agência Tributária de Cáceres. De pequena jogou ao basquetebol no plantel/elenco de sua colégio, As Josefinas. Desde há sete anos vai ao {gym} e em seus exercícios habituais se inclui levantar {pesas}, andar e {trotar} na fita, {pilates} e bicicleta estática. Não se reconhece no qualificativo de anciã. «Me sinto mais jovem da idade que tenho; de vez em quando algum osso {cruje}, mas bom, a partir dos 20 se começa a envelhecer. É o que diz a ciência», brinca entre risos. Além disso para Pilar, a {vejez} «não é tanto/golo uma questão do número de anos, mas de com que atitude {llegas} a esse momento».

Juan Rosa é de Torremocha e tem 73 anos. Em Outubro cumpre os 74. Foi uma pessoa ativa toda a vida. Pratica futebol duas vezes à semana e percorre ao dia com sua bicicleta entre 50 e 70 quilómetros. Mesmo trabalhou seis anos na Alemanha e aqui em Cáceres fê-lo numa papelaria. «Tarde, {llegué} tarde ao ciclismo, com mais de 62 anos, quando me operaram do menisco», assinala. Não se imagina a sim mesmo inclinado no sofá nem por um segundo. «Temos de mover-se. Para estar são temos de ter atividade, temos de ser flexível, temos de tirar -aconselha feliz- rendimento de cada minuto da nossa vida».