+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A rotunda da {Dehesilla} se atrasa porque se reduz o terreno ocupado

A Junta chegou a adjudicar as obras e a assinar o contrato com a construtiva faz quase um ano. Tem tido que fazer um modificado do projeto para minimizar a superfície privada afetada

 

Entrada à condomínio da {Dehesilla} de {Calamón} pela estrada de {Valverde}. - S. GARCÍA

A. M. ROMASANTA badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
17/03/2019

Los vizinhos/moradores da {Dehesilla} de {Calamón}, que levam anos reclamando a construção duma rotunda de entrada à condomínio pela estrada de Valverde de Leganés, vão ter que esperar alguns meses mais. A obra está adjudicada a {Gévora} Construções desde há quase um ano por parte da Conselheria de Economia e Infraestruturas por montante de 595.191 euros. O contrato se formalizou o 11 de Abril de 2018 e nessa altura o prazo de execução anunciado era de sete meses, com o qual já teria que estar terminada, mas não houve o menor movimento de terra.

O motivo deste atraso, segundo informou a conselheria a este diário/jornal, é que houve que realizar um modificado do projeto para reduzir a superfície de ocupação e «minimizar a afetação aos proprietários dos terrenos». A Junta confirma que efetivamente a obra se adjudicou, mas «uma vez em marcha, ao ocupar os terrenos, teve algum proprietário que não pôs-se de acordo». Daí que tivesse que modificar o projeto para reduzir a superfície e «isto leva seu tempo», pois provocou que os procedimentos se {ralentizasen} no 2018. Uma vez salvos estes obstáculos, a conselheria assegura que «em breve se retomará o projeto» e que o prazo de execução será «muito curto», de cinco meses. O processo afeta a 26 proprietários de terrenos.

A construção da rotunda faz parte da obra de melhoria da segurança via na estrada Ex-310 (de Badajoz a Valverde de Leganés) no troço compreendido entre os pontos quilométricos 4 e 6. A Junta aprovou o projeto em Agosto de 2017 e se submeteu a exposição pública. Oito afetados apresentaram alegações, e segundo a conselheria, foram atendidas e respondidas. A Junta declarou a urgência da ocupação dos terrenos afetados, que justificou pelos problemas de segurança que apresenta a via neste troço, devido fundamentalmente à existência a ambos lados da estrada de grande número de acessos, bem como ao elevado trânsito que suporta com uma alta sinistralidade nos últimos anos. O projeto consiste básicamente em executar duas vias de serviço unidirecionais e uma rotunda de entrada à condomínio, à altura da venda O Rocío. As vias de serviço se conetam à estrada principal num extremo pela rotunda e pelo outro com vias de mudança de velocidade de tipo direto. O projeto se completa com as obras de drenagem necessárias e atuações complementares como a sinalização e balizagem.

Na {Dehesilla} de {Calamón} vivem de forma permanente 2.000 vizinhos/moradores e a população se incrementa em verão.