+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O PSOE sugere que seus militantes votem a Acedo contra {Fragoso}

{Lemus} acredita que terão a «tentação» para evitar que o presidente da Câmara Municipal seja senador. Os socialistas {reprueban} ao popular na assembleia provincial e nas câmaras municipais

 

{Lemus}, no centro, acompanhado dos integrantes da executiva local do PSOE, ontem. - S. GARCÍA

A. M. R. /REDACCIÓN badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
26/10/2019

La moção de {Vox} no plenário/pleno do Câmara Municipal De Badajoz de quinta-feira para reprovar ao PSOE por seu «história criminoso/criminal» trouxe mais cauda de que a que certamente o jogo/partido proconferencista calculava. Ontem, o secretário provincial socialista, Rafael Lemus, apoiado por toda a executiva local do jogo/partido, arremeteu contra o comportamento do presidente da Câmara Municipal Francisco Javier Fragoso, ao ter permitido «com rancor», na sua opinião, que esta moção se debatesse. Como reação, Lemus manifestou que pode «adivinhar» que tenha militantes socialistas «{enardecidos}» que «tenham a tentação» de marcar a {casilla} do popular Pedro Acedo, que vai em segundo lugar na candidatura do PP ao Senado, para impedir que seja senador Fragoso, que é quem encabeça a lista.

Assim, Lemus concretizou que embora claramente não pode propor que esta seja a reação da militância, também não vai-se a opor. «Não vou pôr travão a que os militantes votem a Acedo com tal de que Fragoso não vá ao Senado. Não o vou a promulgar, mas não o vou a impedir», manifestou.

Para Lemus, o sucedido no plenário/pleno foi um episódio do novela de «{nepotismo}» na Câmara Municipal de Badajoz, onde teve lugar «um dos episódios mais vergonhosos» em seus 40 anos de história como instituição democrática. Segundo o PSOE, os «ideólogos» da moção de {Vox} são «o {matarife} de Lobón» (em referência a Juan Antonio Morales) e «seu monosábio» (Antonio Pozo, expresidente da Câmara Municipal de Guadiana) e comparou aos três membros de {Vox} (incluído o vereador Alejandro Vélez) com «uma grupo/ponta de {cuatreros}» à que criticou «sua atitude {extorsionadora}».

Mas o que mais preocupa aos socialistas, segundo disse Lemus, é «a submissão» de Fragoso, pois embora o PSOE e o PP sempre têm confrontado e seu antecessor, Miguel Celdrán, foi «muito duro» com os socialistas, «nunca faltou o respeito a nenhum partido político, porque sabia perfeitamente qual era a linha divisória entre a confrontação política e o insulto e a ameaça». Na opinião do PSOE, Fragoso podia ter rejeitado que a moção de {Vox} se debatesse porque não tinha nenhum interesse/juro para a cidade e tinha uma maioria suficiente.

Por tudo o sucedido, o PSOE apresentará uma moção em todos as Câmaras Municipais da província {reprobando} a atitude «de extrema-direita» de Fragoso, como presidente provincial do PP. O primeiro plenário/pleno no qual se fez foi no celebrado já ontem na assembleia provincial, onde Fragoso é deputado. Se aprovou com os votos da maioria socialista. {Cs} a rejeitou porque considerou que o único que procura é o «rédito político». Por seu lado, o próprio Fragoso assinalou que «com esta moção demonstram que são iguais que o grupo político que a apresentou ontem e se põem a seu mesmo nível», ao passo que apontou que com esta iniciativa «vão a prolongar mais o efeito mediático» da moção de {Vox}.