+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O PP propõe um centro de captação de fundos europeus

Defende também um escritório de Bruxelas na Extremadura para os municípios. {Fragoso} reclama a zona franca para a Plataforma Logística e o {Ciere}

 

Monago e {Fragoso} com os integrantes da candidatura municipal, ontem na alcáçova. - S. GARCÍA

A. M. R. lcb@elperiodico.com BADAJOZ
08/05/2019

Crear um centro de captação de projetos europeus e de atração de empresas que permita incrementar na Extremadura o investimento estrangeira. É uma das propostas que o presidente regional do PP e candidato à Junta, José Antonio Monago, defendeu ontem num ato de pré-campanha organizado na Alcazaba, junto ao presidente da Câmara Municipal de Badajoz, Francisco Javier Fragoso, e os integrantes da candidatura municipal, para expor medidas para situar à região no contexto de Europa, do qual, segundo Monago, esteve «ausente» nos últimos anos.

O PP escolheu Badajoz para explicar as suas propostas por seu «vocação europeia», que se traduz na posta em marcha da eurocidade com Elvas e {Campomayor}. Monago referiu-se à necessidade de converter o escritório da Extremadura em Bruxelas numa secretaria-geral de ativação da agenda europeia, sobretudo agora que vai-se a negociar o novo quadro operacional/operativo da agenda 21/27. Além disso, o PP quer que funcione um escritório de Bruxelas na Extremadura para informar a municípios e {mancomunidades}. Em relação ao papel de Badajoz, o presidente do PP propôs uma extensão do Gabinete de Iniciativas Transfronterizas para impulsionar ainda mais a eurocidade. Fragoso por seu lado, defendeu a «vocação» de Badajoz como ponte/feriado do sudoeste da península para comunicar os dois lados da Raia para o desenvolvimento da Extremadura e do Alentejo. Como medida concreta/concretiza, mencionou que dentro do novo regime fiscal que o PP anuncia, uma das medidas que tem que concretizar-se é a zona franca para a Plataforma Logística, ao passo que insistiu em «exigir» ao Governo central o Centro Ibérico de Energias Renováveis ({Ciere}), cuja sede se anunciou para Badajoz.

Monago apontou que à União Europeia não só/sozinho se pode chamar para «pôr o concha de sopa» mas para apresentar projetos e aludiu a um problema «essencial» como é o da despovoamento, contra a que Extremadura deveria liderar um discurso na UE para chamar à atenção das necessidades de regiões do sul.