+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Cabeças critica que PP e {Cs} vulneram o acordo para os primeiros 100 dias

Adverte de que «as pessoas não vê diferenças entre este plantel/elenco e o anterior». Afirma que de 130 pontos que acordaram desde 2015 cumprem menos de 10

 

Ricardo Cabezas. -

F. LEÓN
11/10/2019

O porta-voz municipal socialista, Ricardo Cabezas, criticou ontem que o {tripartido} local, ao que seu grupo não concedeu os cem dias de graça, não cumpriu as nove medidas anunciadas como compromissos para os 100 primeiros dias de governo, que recolhe/expressa o acordo programático de 30 pontos do PP e {Cs}.

Cabezas fez esta {aseveración} um dia antes dos 100, que cumprem-se hoje. E manifestou que «lhe disse a {Cs} que se os cumpriam, seria o primeiro em felicitá-lo, mas não foi assim». E recordou que o primeiro tenente de presidente da Câmara Municipal, Ignacio Gragera, já afirmou que não estava satisfeito com os cem primeiros dias de governo, culpando de isso ao verão.

«O PP não avisou a {Cs} de que onde punham 100 dias deviam pôr 1.000», disse o porta-voz socialista. Também que «{Cs} se deu de bruços com a realidade, que se traduz numa herança nefasta de {Fragoso} e do PP, que agora devem endireitar eles». E disse que desconhece «se {Cs} reconhece já ao vereador de {Vox} como plantel/elenco de governo», mas que «estão juntos».

Os pontos incumpridos, segundo Cabezas, são o acordo 5, Rever o regulamento de contratação da Câmara Municipal, pois «não se publicam as contratações menores desde há 19 meses»; o 7, Implantar a Administração eletrónica. Deverá sair a concurso o contrato nos primeiros 100 dias, sobre/em relação a o que o PSOE admite que «algo se faz, mas está claro que não tem saído o concurso».

Também o 9, Levar os Serviços aos Centros Cívicos, que para o PSOE, «novos quiosques não supõem descentralizar a Administração»; o 10, Regulamento de Participação Cidadã, do qual «não se fez nada e impedem levar a plenário/pleno propostas do PSOE»; o 17, Modificar o Plano Geral e o Plano Especial do Centro Histórico, que «também têm incumprido»; ou o 22, Novo parque de esacionamento em Valdepasillas, cujo «processo ainda não se iniciou».

Outro é o 26, Alargar aos fins-de-semana o serviço de autocarro às freguesias com horários racionais, que vê «incumprido; e já lhes digo a {Cs} que o PP, neste ponto, lhes está {chuleando}».

Está o 27, Criação de um Consórcio Patrimonial do Centro Histórico, que para Cabezas «se tem movido mais em imprensa que noutro âmbito»; o 29, Criação duma Escritório de Atenção Empresarial com dotação orçamental e meios pessoais e técnicos próprios; que, disse Ricardo Cabezas, «não há, ou que diga Gragera onde está».

E o ponto 13-A, Garantir a provisão de pessoal que garanta as funções de limpador-contínuo nas escolas de Badalo», que o conseguido, o PSOE não o dá por bom «porque não inclui essa figura na {RPT} da Câmara Municipal, como pediam ao PSOE e não ao PP».