+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Aparecem grafítis no Centro Histórico, algumas referidas a {Vox}

O jogo/partido de {Abascal} condena estes atos e pede que se investiguem

 

Um operário limpa, ontem, a residência Julio Cienfuegos. - EL PERIÓDICO

Grafíti realizado na fachada de O Silêncio. - EL PERIÓDICO

REDACCIÓN
17/03/2019

Numerosas fachadas do Centro Histórico de Badajoz {amanecieron} ontem com grafítis, a maioria com o nome do jogo/partido {Vox} e outras com mensagens próprias da extrema-direita embora de pobre execução e lamentável ortografia, nos que se podia ler: «{FFanco}», «A {Jestapo}» e «As {femenista} a lavar pratos».

As reações nas redes sociais não se fizeram esperar. Desde vizinhos/moradores do ambiente que se queixavam deste ato de vandalismo, a partidos políticos. {Vox} não tardou em manifestar, através de Twitter e de Facebook, que condenava «rotundamente todos as grafítis realizados em Badajoz em seu nome», ao mesmo tempo que pedia à Polícia Nacional a abertura imediata duma investigação.

A Câmara Municipal se apressou a limpar as grafítis de seus prédios, como a realizada na fachada da residência Julio Cienfuegos. Outras paredes privadas também se eliminaram rapidamente, como a do bar O Silêncio, que tem sofrido mais atos vandálicos com anterioridade. Contra este último reagiu ontem a Fundação Triângulo Extremadura, por ser um local comprometido com a diversidade LGTB. Ontem à noite estava convocada uma concentração às portas deste bar como mostra de apoio.

O grupo municipal socialista emitiu um comunicado para denunciar as grafítis sobre/em relação a {Vox}, que relacionou com a visita que realizou ontem a Badajoz o secretário-geral desta organização política, Javier Ortega-Smith, que inaugurou à tarde a sede provincial de {Vox}, na rua Antonio Álvarez. Posteriormente participou num ato público no hotel Badajoz {Center}, que decorreu sem incidentes, com uns 300 assistentes e a presença do vicesecretário provincial, Pablo Tena; o deputado regional não inscrito filiado/inscrito a {Vox}, Juan Antonio Morales; e o presidente provincial da formação, {Marcelo} Amarela, segundo informou Europa Press.

Para os socialistas, a origem destas grafítis está na ação cometida por «algum energúmeno fascista» que «quis {visibilizar} e promover com mau gosto ao jogo/partido de extrema-direita {Vox}». Além disso, o PSOE mostrou «seu rejeita perante estes atos {incívicos} que só/sozinho servem para sujar a cidade e não têm nada de patrióticos».