+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Os amores de carnaval são para sempre

Não se esquece facilmente o {dulzor} do néctar {murguero} H Seu paladar é tão aprazível que recorda ao sabor dos beijos da deusa Libertas, e às delicados afagos que inspiraram aos poetas e filósofos de todos os tempos

 

Os {Mirinda} 8 A murga demonstrou, uma vez mais, sua capacidade para {insuflar} carisma aos personagens costumbristas. - ANDRÉS RODRÍGUEZ

ANTONIO GALVÁN GONZÁLEZ
15/02/2020

La terceira sessão de preliminares não dececionou. Teve de tudo um pouco/bocado, e em sua justa medida. Projetos muito díspares, mas igualmente interessantes. Porque nisso precisamente, na diversidade, reside a verdadeira riqueza de um concurso que se alarga concetualmente pela pluralidade, flexibilidade e abertura {intrínsecas} à formação musical de tendências libertárias que é a murga.

O superherói mais ‘{cani}’ da cidade

La murga Eu Não Saio abriu a terceira sessão do concurso revelando, por fim, a surpresa que nos tinha preparada com seu ‘Cristo do grande superpoder/conseguir’, um superherói bastante {sui} {géneris}, que vai equipado com um trouxe {chillón}, óculos de ‘{pastillero}’, boné e sapatilhas com solas iluminações. Nos {pasodobles}, se lamentaram pela má fama que {arrastramos} os extremenhos, e assinalaram que dificilmente nos poderão valorizar desde fora se, em primeiro lugar, não nos sentimos orgulhosos do que temos. Os {cuplés} os dedicaram a falar do ambiente, dos maus cheiros do {Rivilla} e da ignorância demonstrada por Pedro Sánchez ao referir-se ao presunto ibérico como serrano. Finalmente, no mistura, nos revelaram qual é seu {criptonita}, revelaram seus desejos de ter o poder/conseguir de cantar todos ao mesmo tempo e esclareceram a origem do incêndio da {panificadora} do polígono O Nevero.

La {némesis} escura de {Cupido}

Después dos {YNS} lhes chegou seu revezo a Os Informais, que apresentaram a Valentino, um {Cupido} escuro. Durante a interpretação de seu repertório, explicaram a origem do personagem, com genealogia divina incluída, salientando algumas das características que o definem. Em seus {pasodobles}, pediram que se recorde seu passo pelas tábuas, e apelaram à memória dos emigrantes extremenhos em Catalunha para convidar-los a renegar das protestos violentos promovidos pelo nacionalismo radical. Seu refrão foi conciso e pegadiço. E para terminar, nos {cuplés} e mistura, falaram das aplicações de {mensajería} e as redes sociais, do {ligoteo} virtual, do {Satisfyer}, de Ribeiro e {Malú}, de Igrejas e Sánchez, do presidente da Câmara Municipal Fragoso e até do {coronavirus}.

Os artesãos dos sonhos

Antes do descanso/intervalo, saltaram às tábuas os membros da murga Marwan. Interpretaram um repertório transbordante de musicalidade e bonitas mensagens. Fizeram-no caraterizados como artesãos do oficina dos sonhos, com uma estética elegantíssima com reminiscências ‘{steampunk}’. Seu repertório esteve envernizado, como é habitual, com letras e músicas totalmente originalíssimas. Em suas letras, enalteceram o sentimento {blanquinegro} da hobby/adeptos do C. D. Badajoz, e pediram uma solução para o rio Guadiana. Também brincaram sobre/em relação a situações familiares e apresentaram o {Satisfyer} como instrumento útil para a sucção das cabeças de {langostinos}. Denunciaram a má qualidade do serviço regional de transporte em autocarro, a situação insustentável do comboio extremenho e o caótico e polémico do transporte sanitário emprestado por Ambulâncias Don juan. E, paralelamente, convidaram a sonhar e a lutar pela liberdade.

Apaixonados autores carnavalescos

Os membros da murga O Verdadeiro partilharam com o público do López de Ayala sua visão do carnaval e uma ode à festa. Eles se definem como comparsa, e foram coerentes na exposição de um repertório com músicas e letras totalmente originalíssimas. Entoaram afinados, {tejiendo} coros com vozes bem {empastadas} e interpretando melodias {armónicas}. Lhe cantaram a diferentes facetas da vida e a experiência carnavalesca. Renderam tributo aos irmãos, às mulheres e às costureiras. Brincaram acerca dos efeitos da bilhete do {Satisfyer} no lar familiar. E denunciaram a {impostura} e hipocrisia que se adverte em certas facetas e momentos da vida. Sua atuação, que estava gostando ao público, concluiu de forma abrupta, ao exceder-se nos tempos. Daí que se produzisse a regulamentar descida de cortina, que pôs fim a sua estadia nas tábuas.

Guias turísticos para o carnaval

Durante sua atuação, Os do ano {pasao} guiaram ao público por Badajoz e por outras cidades de Espanha e o mundo. Lhe tiraram ponta ao ânsia de cobrança do guia já conhecida. Tiveram um foque e perspectiva muito interessantes em numerosos temas. E abordaram assuntos até ao momento inéditos. Nos {pasodobles}, renderam homenagem ao teletexto, e denunciaram a falta de ambição e o conformismo de aqueles que renunciam a trabalhar para viver do subsídio. Também demonstraram bons reflexos e humor, ao rir-se a propósito da coincidência na eleição do tipo com A Contragolpe, e ao tratar um tema tão atual como o do {coronavirus} e a construção do hospital chinês. Mas não ficou aí a coisa, porque trataram, também, outros temas, como a exumação de Franco, a moda do {Satisfyer}, o pacto de governo entre Podemos e o PSOE, ou o acordo local do governo de Badajoz.

Os amantes da cornija

Temos de reconhecer a Os {Mirinda} sua habilidade para reinterpretar personagens e dotá-los de carisma. Neste ano, se apresentaram ao público meio nus e subidos no alto duma cornija. Resulta que estavam {volcados} nas artes {amatorias} e tiveram que sair por patas diante da chegada de um marido pouco/bocado oportuno. Fizeram da curiosidade, categoria/escalão de humor, e divertiram com suas engenhosas ocorrências. O primeiro {pasodoble} o dedicaram a seu amante mais querida/cara, à cidade de Badajoz, e no segundo aludiram ao presidente do C.D. Badajoz. Nos {cuplés}, criticaram, com ironia, a {impostura} dos assistentes à Cimeira do Clima de Madrid, e brincaram a propósito do aspeto físico e os multiplas alcunhas com que designam a Fragoso e {Gragera}. Seu refrão deste ano, que é conciso e pegadiço, alude, com piada, ao pacto de governo de Badajoz. Uma referência à atualidade local que sempre gosta, e que, infelizmente, cada vez é menos habitual no concurso.