+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Montanha, expoente da poesia visual, volta à casa de cultura

Entre as obras destacam desenhos do mitológico bar da movida O {Cucurucho}. O título desta exposição alude a um {trabalenguas} que conheceu de criança

 

Juan Ricardo Montaña e a vereadora {dombenitense} de Cultura, {Natalia} Blanco. - EL PERIÓDICO

RAÚL HABA prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com DON BENITO
04/03/2020

Juan Ricardo Montaña (Don Benito, 1949), expoente da poesia visual extremenha, volta à casa de cultura de Don Benito, e fá-lo-á de 6 a 29 de Março para expor suas obras com um título {peculiar} que faz alusão a um {trabalenguas} da própria {niñez} do autor: Pinto, {Piripipinto}, {Piriginordo} e {Güitivisordo}.

Com este título, Montaña pretende criar uma linha do tempo de suas obras ao olho do visitante, ao mesmo tempo que fazer um percurso/percorrido por suas obras ao longo/comprido do tempo, e sua evolução.

Na exposição se podem observar 34 desenhos a cor, 20 obras a {plumilla} e gravados e uma zona em vitrinas com esboços de campo e de capas de livro criadas pelo artista. Além disso, um afastado que vai a trazer boas lembranças para grande parte dos que visitem a mostra vai ser a coleção de desenhos de um bar mitológico da época da movida na localidade de Don Benito, como foi O {Cucurucho}, bar que estava na rua Virgem, ao lado da capela Virgem de Guadalupe e da praça/vaga de Espanha.

Segundo explicou o autor, na exposição se poderá ver cor, gravados e {plumillas} em vários formatos, para além da utilização da abóbora com motivos {celtas} a tinta-da-china.

homem multifacetado / Juan Ricardo Montaña é um multifacetado poeta experimental, desenhador, narrador e editor, mas também é promotor e partícipe em diversos movimentos culturais, fazendo parte de coletivos como {Alcandoria} e a Associação Amigos da Cultura Extremenha, para além de fundador, em 1992, de {Vberitas} e impulsor do fundo editorial da Câmara Municipal.

Assíduo organizador de recitais poéticos na região, sua poesia visual esteve exposta em diversas zonas da Extremadura, Madrid, Lisboa, {Sao} Paulo, {Zarautz}, Málaga e Bilbao, entre outras cidades.

Quanto a sua obra experimental, relatos e poemas foram publicados em revistas literárias como {Interolerti}, Aldeia poética, {Zurgai}, Correspondência, Asa de mosca, O Espelho, Veneno e Janela Aberta.

Fazem parte da coleção artística permanente da casa de cultura {dombenitense} diversas obras suas de poesia visual.

Pertence à Associação de Escritores Extremenhos e entre suas obras se citam Vozes e Ecos, (poesia experimental), que pertence ao Fundo Editorial do Câmara Municipal de Don Benito, Viagem a {Éfeso}, (narrativa), editada por {Littera} Livros, e {Nundinae}, (narrativa) da Câmara Municipal de Don Benito.