+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Comando único e restrição de circulação/trânsito e pessoas

Todas as forças de segurança do Estado ficam às ordens de Sánchez. Sanidad assume o controlo de toda a rede territorial pública e também da privada

 

Ambiente de estradas de acesso a Madrid, ontem. - DAVID CASTRO

REDACCIÓN
15/03/2020

El Gobierno anunció ayer que se erigía en «autoridade competente em todo o território» e tomou importantes decisões em âmbitos muito diversos: restrição de movimentos, saúde, comércios... Estas som as principais medidas.

1Marlaska toma o controlo de todas as polícias

El ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, é já o «comando único» de todos os corpos policiais, incluídos os Polícia catalã d’{Esquadra}, que ficarão baixo/sob/debaixo de seus «ordens diretas». {Marlaska} será um dos quatro ministros que exercerá como «autoridade competente delegada» em todo o território espanhol –os outros som Salvador {Illa} (Sanidad), José Luis Ábalos (Transportes) e Margarita Robles (Defesa) para fazer que se cumpram as medidas do decreto lei. Além disso, poderá contar com a colaboração do Exército espanhol, de quem Pedro Sánchez anunciou que «já está preparado para isso»..

2 {Confinación} domiciliária com exceções

El decreto o expressa com outras palavras mas a principal medida que contém face a a população se pode resumir nestas: fica proibido sair de casa salvo para causas muito concretas. Ir a trabalhar, ao hospital, comprar alimentos, produtos farmacêuticos e outros de primeira necessidade, ir aos bancos, voltar ao lugar de residência, cuidar a maiores/ancianidade ou dependentes e por «outras causas de força maior/velho ou necessidade». Ao permitir o regresso à primeira residência se facilita a volta a casa dos que têm saído das capitais este fim-de-semana. Caso contrário se terão que ficar encerrados em sua segunda residência. El objetivo é evitar ao máximo o {contato} entre pessoas com o menor impacto {ecómico}, daí que se permita ir ao centro laboral quando a empresa não possa facilitar o teleestreitamente; se não, o melhor seria que não se produzisse nenhum {tralado} desde/a partir de casa ao estreitamente.

3 {Illa} toma o comando da saúde privada e militar

El ministro de Sanidad, Salvador {Illa}, toma o controlo de toda a rede sanitária pública, privada e militar. Um dos objetivos é «determinar a melhor distribuição no território dos meios técnicos e pessoais», isto é, se poderá transferir pessoal sanitário ou mesmo doentes ingressados a autonomias com menos pressão hospitaleira. {Illa} fica autorizado para tomar as medidas que sejam necessárias para garantir o abastecimento de produtos sanitários necessários para combater o vírus. Poderá intervir e ocupar de forma temporal fábricas, locais e inclusivamente «a indústria farmacêutica», para além de «expropriar bens» e dispor os empregados..

4 Só/sozinho comércios «estritamente necessários»

Fecharão a grande maioria de estabelecimentos comerciais. Assim, todos os lugares de restauração, instalações culturais e de lazer ou parques de atrações deverão descer a persiana pelo menos durante os próximos 15 dias. A medida também afetará à educação em todas as etapas. Concretamente, deverão encerrar-se todos os restaurantes, bares, cafés, restaurantes, salas de festa, auditórios, cinemas, teatros, pavilhões de congressos, salas de concertos, campos e instalações desportivas, ginásios... Chama a atenção que sim permanecerão abertos as cabeleireiros, se calhar {pendando} nas pessoas maiores/ancianidade, que se vêem com dificuldades para o asseio diário/jornal.

5 A justiça também se paralisa até ao fim da alarma

À medida que a pandemia do {coronovirus} no âmbito judicial tem ido acontecendo's decisões para tratar de contê-lo têm ido acontecendo's. Da muito criticada tibieza inicial do Conselho Geral do Poder Judicial (CGPJ), que até ao sexta-feira não acordou a suspensão das atuações judiciais em Madrid, País Basco, Igualada (Barcelona) e {Haro} (A Rioja), se passou este sábado a estender a medida a toda Espanha em cumprimento do real decreto do Gobierno de Pedro Sánchez no qual se acorda a suspensão dos prazos processuais para todos os ordens jurisdicionais. El cômputo não se reiniciará até que acabe o estado de alarma decretado, segundo as medidas propostas.

6 Permitida a assistência a lugares de culto

Sim se permite que durante os próximos 15 dias se possa ir a lugares de culto sempre que se evitem aglomerações e se possa garantir a distância de segurança de um metro para evitar possíveis contágios. Assim, a assistência a batizados, {comuniones}, casamentos ou funerais poderá realizar-se enquanto se {extremen} as medidas de segurança impostas desde/a partir de o Ministério da Saúde.

7 Possível intervenção de indústrias e empresas

Para garantir o fornecimento de bens e serviços necessários para a saúde pública, o decreto pelo se declara o estado de alarma habilita ao ministro de Sanidad para poder/conseguir «intervir e ocupar transitoriamente indústrias, fábricas, oficinas, explorações ou locais de qualquer natureza, incluídos os centros, serviços e estabelecimentos sanitários de titularidade privada, bem como a indústria farmacêutica». Também poderá impor prestações pessoais obrigatórias se é preciso para ajudar a proteger a saúde pública. Para garantir o fornecimento alimentar, as autoridades também poderão acordar a intervenção de empresa ou serviços, bem como mobilizar às forças e corpos de segurança do Estado e às Forças Armadas com o fim de assegurar o bom funcionamento da distribuição alimentar, desde/a partir de a matéria-prima ao consumidor

8 As medidas económicas, na terça-feira

Na próxima terça-feira será quando se aprove um pacote de medidas socioeconómicas e laborais com o objetivo de paliar alguns dos efeitos derivados da declaração do estado de alarma. Concretamente, Sánchez referiu-se à próxima aprovação de «medidas de apoio a trabalhadores, autónomos/trabalhadores independentes e famílias». Também, a «a flexibilização dos processos de regulação temporal de emprego ({ERTE})» e a medidas para impulsionar a atividade económica bem como outras para impulsionar a investigação da vacina face ao coronavirus. El presidente Sánchez admitiu que as medidas decretadas pelo Gobierno terão um impacto económico «de envergadura, grande», que vai a exigir «medidas contundentes».