Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 17 de fevereiro de 2020

TVE-1 reúne a José Mota e a Santiago Segura

La cadeia pública estreia esta noite o programa de humor ‘Hoy não, amanhã’

EL PERIÓDICO
12/07/2019

 

Tras seu já tradicional especial de Fim de Ano em TVE-1 (Retratos selvagens), José Mota volta esta noite a animar o verão da primeira cadeia estatal com Hoy não, amanhã (22.10 horas), programa de humor que tem como mestre de cerimónias a outro habitual nos verões da televisão estatal, o multifacetado Santiago Segura (A partir de hoje, Viagem ao centro da televisão…).

«O mundo está destinado ao desastre e o único que nos pode salvar é a comédia», explicou na apresentação de seu novo {show} José Mota. assume a direção do programa, quem nesta ocasião não se coloca diante da câmara, tal como fez em seus outros programas: «Não se pode estar em missa e repicando, estou com teatro, um filme, preparando uma série… Além disso, temos de deixar passo a outros companheiros», explicou o conhecido ator e humorista.

Isabel Pantoja no {cásting} de {OT}, os confrontos entre Pedro Sánchez e {Susana} Díaz ou José Coronado como o eterno polícia da ficção espanhola são alguns dos {sketches} aos que dará passo Santiago Segura em Hoy não, amanhã, que também ironizará sobre/em relação a a problemática das redes sociais que nos {abducen} ou os jogos de poder/conseguir por conquistar a Moncloa.

O programa contará com seis entregas que, ao estar já gravadas, têm recorrido a temas atuais mas de longa duração porque, segundo Mota, «há temas sociais e políticos que são de atualidade perene, para bem ou para mau». Para o diretor é importante tratar estas problemáticas desde a comédia, porque «o humor faz uma lavor/trabalho social fundamental, quando há mais crispação se demandam mais programas de humor».

Os {sketches} darão uma larga visão do que passa no mundo de hoje: programas e séries de televisão, política, redes sociais e as notícias mais importantes do ano em todos os âmbitos.

«{Amiguete}, ¿tu te {animas} a apresentar o programa?», lhe perguntou a Santiago Segura e este aceitou encantado ser «a ginja do bolo». Embora para o também ator e diretor «a ginja é a audiência, e se é pouca, tudo isto não vale para nada».

Para conseguir mais espectadores fiéis, Segura contou que propunha «que em cada programa se expulsasse a um humor, um {OT} do humor, que isso sempre gosta», ironizou o apresentador, que reconhece o difícil que é fazer humor em horário estelar, «sobretudo no formato de {sketches}, que é o mais complicado».

Para Fernando López Puig, diretor de contidos de TVE, «o público é mais cruel quando não gosta de o humor que quando não gosta de, por exemplo, um drama». Mas López Puig confia em que algo «tão sério e tão difícil» como a comédia deste «noticiário absurdo» tenha continuidade para além de a época estival. O diretivo disse que o programa «vai fazer muito mais divertidas as noites das sextas-feiras, vai-se a fazer um revisão da atualidade, temas sociais, políticos, de acontecimentos, etc. Mas também vai ter uma leitura mais profunda». «Pessoalmente nos gosta muito, mas também queremos que lhe goste ao público», acrescentou.

O programa está {codirigido} e {guionizado} por Javier Vicuña (Vá {semanita}) e incorpora ao imitador Raúl Pérez para somar-se uma equipa formado por veteranos dos {sketches} de Mota, como Comandante Lara, Mágico {More}, Agustín Durán ou {Marta} González de Vega. E entre os atores de comédia, nomes tão populares como Paco Collado o {Aberroncho}, {Sayago} {Ayuso}, Maribel Salas, Iker Galartza ou Andoni Agirregomezkorta, entre outros. Também intervirão como personagens recorrentes Isidro Montalvo (o {coach} da {cincha}) e o {youtuber} Salva.

As notícias mais...